Publicidade
Cotidiano
Notícias

Justiça marca primeira audiência do ‘caso Marcelaine’

Audiência de instrução deve reunir réus e testemunhas. ‘Elaine’ é suspeita de mandar matar rival em triângulo amoroso 05/03/2015 às 14:46
Show 1
Marcelaine foi presa quando chegou ao Brasil vinda de Miami
Joana Queiroz Manaus

O interrogatório da estudante de direito, Denise Almeida da Silva, 34, vítima de um plano que culminaria com sua morte, arquitetado pela socialite Marcelaine Santos Schumann, 36, a “Elaine”, vai abrir a audiência de instrução e julgamento da tentativa de homicídio. A audiência está marcada para acontecer amanhã (6), na 3ª Vara do Tribunal do Júri, no Fórum Henoch Reis.

Além de Denise, serão ouvidos o pivô do crime, o empresário Marcou Souto, a suposta mandante, Marcelaine, Rafael Leal dos Santos, 25, o “Salsicha”, apontado como o atirador e Charles “Mac Donald” Lopes Castelo Branco, 27, que teria negociado o crime com a mandante. Também serão ouvidos, Karen Arevalo Marques, 22, que intermediou o aluguel da arma usada na tentativa de homicídio e o vigilante Edney Costa Gomes.

Nesta quarta-feira (4), o juiz da 3ª Vara do Tribunal do Júri Mauro Antony disse os réus e testemunhas serão ouvidas para a primeira vez em juízo. Ao final dos procedimentos, os réus ficarão sabendo se serão julgados por júri popular.

O magistrado informou que a audiência está marcada para iniciar a partir das 8h, e vai começar com o interrogatório da vítima - Denise. Em seguida, será a vez de Marcos Souto, que, segundo as investigações, era o “objeto” de disputa entre Denise e Marcelaine e, consequentemente, as testemunhas de defesa e de acusação. Por último serão ouvidos os réus.

Consta nos autos do processo, que a defesa de Marcelaine não arrolou nenhuma testemunha de defesa. Segundo Mauro Antony, durante a audiência serão apresentados os objetos que foram apreendidos durante o cumprimento do mandado de busca e apreensão, realizado no apartamento da ré. De acordo com o magistrado, todo material está em um envelope lacrado que só será aberto na presença dela. Antony acredita que os trabalhos devem durar durante o dia todo.

A socialite teve a prisão preventiva decretada pelo juiz da 3ª Vara do tribunal do Júri, Mauro Antony por arquitetar a morte de Denise, que foi baleada com um tiro no pescoço quando saía da academia Cheik Clube, no Centro de Manaus, no dia 12 de novembro.

Ela está presa desde o dia 5 de janeiro no Centro de Detenção Provisória Feminina, no Complexo Penitenciário Anísio Jobim, (Compaj) Km 8 da BR-174, depois de ter sido presa por pela Polícia Federal, no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes quando retornava de Miami com o marido, o empresário Edmar Costa.

Denunciada no MP

Marcelaine Shumann foi denunciada pelo Ministério Público pelo crime de tentativa de homicídio qualificado por motivo torpe, ocorrido em novembro de 2014. Ela poderá ser condenada a cumprir 15 anos de prisão em regime fechado, caso seja condenada a pena máxima, segundo informou o juiz Mauro Antony.

 De acordo com as investigações da Polícia Civil do Amazonas, Marcelaine contratou pistoleiros e pagou R$ 7 mil para que executassem o crime que  teve motivação passional. Logo depois do crime a suspeita viajou de férias para Miami, onde passou o Natal e o Réveillon.

Ainda segundo as investigações, Denise e Marcelaine, embora casadas, teriam um relacionamento extra-conjugal com o empresário Marcos Souto, que também é casado. Denise nega o envolvimento com Marcos. Conforme depoimento de Rafael Leal, o “Salsinha, que fez os disparos em Denise, a ordem que recebeu era pra matá-la ou deixá-la aleijada.

Apreensão na casa

Foram apreendidos na casa de Marcelaine três fitas, um aparelho celular, duas máquinas fotográficas, dois chips, uma agenda e uma faca de cozinha, além de um envelope branco com o nome completo, endereço, placa e modelo do carro de Denise.

Publicidade
Publicidade