Publicidade
Cotidiano
Notícias

Justiça nega liberdade a sócio da Boate Kiss que está sob custódia em hospital

O juiz destacou que não há motivos razoáveis para se desfazer a decisão anterior, que decretou a prisão por um período de cinco dias, prazo que vence amanhã (1º). 31/01/2013 às 16:07
Show 1
O pedido foi negado a um dos quatro donos da boate, Elissandro Callegaro Spohr, o Kiko.
Bruno Bocchini/ Enviado Especial Porto Alegre

A Justiça negou nesta quinta-feira (31) o pedido de liberdade a Elissandro Callegaro Spohr, o Kiko, um dos sócios da Boate Kiss. A decisão foi do juiz plantonista da Comarca de Santa Maria, Afif Simões Neto.

O juiz destacou que não há motivos razoáveis para se desfazer a decisão anterior, que decretou a prisão por um período de cinco dias, prazo que vence nesta sexta-feira (1º).

De acordo com o magistrado, a prisão de Kiko “embasou-se em sólidos fundamentos fáticos e jurídicos, principalmente no que diz respeito à necessidade da custódia para a investigação que se encontra em curso”.

Elissandro está hospitalizado, sob custódia. A polícia pediu ontem a renovação de sua prisão temporária e aguarda agora decisão da Justiça.

Ainda estão presos, além de Kiko, seu sócio na boate, Mauro Hoffman; o vocalista da banda Gurizada Fandangueira, Marcelo de Jesus dos Santos; e o produtor do conjunto musical, Luciano Augusto Bonilha.

Publicidade
Publicidade