Publicidade
Cotidiano
Notícias

Latrocínio e crime passional são considerados como possíveis motivos para morte de médico

DEHS iniciou hoje (2) a investigação para elucidar o assassinato de Egídio Correia, morto com três tiros no peito no domingo, quando teve o corpo abandonado em uma picape na Zona Leste 02/11/2015 às 17:21
Show 1
Egídio foi encontrado morto na manhã deste domingo
acritica.com Manaus (AM)

O delegado titular da delegacia especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Ivo Martins, disse que hoje (2) foi iniciada as investigações para descobrir a autoria do assassinato do médico oftalmologista Egídio Correia Lira Júnior, 37, ocorrido na manhã de domingo (1º). “Já instauramos o inquérito policial e estamos chamando pessoas que conheciam o médico para que sejam ouvidas em termo de declaração”, disse Martins.

De acordo com o delegado, o crime de Egídio é complexo, porém não impossível de ser solucionado. O delegado  ressaltou que inicialmente a polícia ainda não tem uma linha de investigação, mas não descarta nenhuma hipótese de motivação como latrocínio (roubo seguido de morte) ou ainda passional.

O delegado informou que investigações iniciais mostraram que o médico era uma pessoa bem conceituada profissionalmente e tinha uma vida equilibrada, tinha carro, lancha e jet-ski, além de ter namoradas.  Egído morava na rua Monsenhor Coutinho, no Centro. Ele foi visto pela última vez por vizinhos saindo de casa por volta das 9h de domingo.

A polícia não descarta a possibilidade de Egídio ter sido atraído por alguém para ser morto. No carro dele foi encontrado um lençol que deveria ser usado para enrolar o corpo e posteriormente ser desovado na área onde foi abandonado no banco traseiro do seu carro, uma picape modelo Ranger de cor prata e placas JXN-9631.

O corpo do médico foi encontrado por volta das 10h30 por policiais 25ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), que faziam a ronda diária e encontraram o corpo do médico na avenida Eixo Norte Sul, Distrito Industrial, Zona Leste. De acordo com os policiais, a vítima foi atingida por três tiros no peito à queima-roupa. O corpo foi velado na funerária Canaã, na avenida Álvaro Maia e no final da manhã de ontem foi levado para Boa Vista (RR) para ser sepultado.

Publicidade
Publicidade