Publicidade
Cotidiano
NOVO GOVERNADOR

Lideranças políticas e partidárias do AM discutem possíveis nomes para o pleito

O novo governador do Amazonas, escolhido em eleição suplementar, terá um mandato de apenas 19 meses 05/05/2017 às 05:00
Show fotos valendo033
(Foto: Arquivo/ AC)
acritica.com Manaus

Diante da decisão do TSE,  lideranças políticas e partidárias do Amazonas começaram a discutir possíveis nomes para disputar o pleito cujo vencedor terá um mandato de apenas 19 meses.

Entre os primeiros nomes especulados estão o do senador Eduardo Braga (PMDB-AM), o do ex-governador Amazonino Mendes (PDT) e do ex-deputado estadual Marcelo Ramos (PR).

O senador Omar Aziz (PSD) não poderá concorrer na eleição. Juristas da área eleitoral explicam que o mandato de José Melo, agora cassado, era sucessório ao do ex-governador Omar Aziz que deixou o cargo em março de 2014 para concorrer ao Senado. Se concorresse, seria como se disputasse uma nova reeleição, o que não é permitido pela legislação eleitoral Assim, ele só poderá concorrer ao governo nas eleições de 2018.

Também circulou nos bastidores políticos que o ex-governador Amazonino Mendes convocou amigos mais próximos para uma reunião na residência dele. O assunto seria avaliar uma provável candidatura na eleição suplementar. No entanto, o presidente do Partido Democrático Trabalhista (PDT-AM), deputado federal Hissa Abraão, divulgou nota dizendo que o partido tem um quadro político de qualidade e que só se posicionará a respeito do atual cenário político brevemente.

O presidente estadual do PR, deputado Alfredo Nascimento, reconheceu que o nome de Marcelo Ramos é forte para a disputa, mas ele defende o diálogo entre os partidos aliados para escolher o candidato. Do lado da oposição, a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), ao falar sobre possíveis candidaturas, defendeu “a abertura de diálogo com as forças políticas. O presidente estadual do PT, Waldemir Santana, quer candidatura própria como ocorreu nas eleições de 2016.

 

Publicidade
Publicidade