Publicidade
Cotidiano
Réu

Lírio Parisotto se torna réu em processo após denúncia de agressão a Luiza Brunet

O promotor de Justiça Carlos Bruno Gaya da Costa em sua denúncia pelo Ministério Público tratou de mais um caso além do relatado por ela em Nova York, em maio deste ano 28/07/2016 às 14:49 - Atualizado em 28/07/2016 às 14:50
Show alx entretenimento luiza brunet lirio parisotto 20160701 01 original
Luiza Brunet e Lírio Albino Parisotto (Foto: Reprodução/Twitter)
acritica.com

O empresário Lírio Parisotto se tornou réu em processo após o Tribunal de Justiça de São Paulo aceitar a denúncia feita pelo Ministério Público no caso de agressão contra a atriz Luiza Brunet. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do TJ.

Segundo o órgão, não há mais detalhes sobre o caso, pois o processo segue em segredo de justiça. De acordo com a assessoria, os próximos passos dependem do andamento do processo e das informações que o juiz pedirá.

O promotor de Justiça Carlos Bruno Gaya da Costa em sua denúncia pelo Ministério Público tratou de mais um caso além do relatado por ela em Nova York, em maio deste ano. Este, segundo o MP, um caso de natureza leve. O segundo episódio registrado, de natureza grave, teria acontecido em dezembro, no Brasil. De acordo com comunicado enviado pelo MP, se condenado pela Justiça, o empresário está sujeito a pena de reclusão (prisão) de 3 meses a 3 anos (lesão corporal leve) e a pena de 1 a 5 anos (lesão corporal grave).

O advogado de Lírio, Celso Vilardi, não foi encontrado para comentar o caso. De acordo com sua secretária, ele está viajando e só retorna ao escritório no dia 2 de agosto.

Agressão em Nova York

No dia 1° de julho, a modelo e atriz Luiza Brunet revelou em entrevista à coluna de Ancelmo Gois, do jornal O Globo, ter sido espancada pelo ex-namorado, o empresário Lírio Albino Parisotto na madrugada do dia 21 de maio.

Segundo o relato de Luiza a publicação, eles estavam em Nova York por conta de uma premiação, e ela teve que voltar às escondidas após sofrer uma série de agressões, iniciada por um momento de exaltação de Lírio. Enquanto jantavam em um restaurante com amigos, o empresário se enfureceu ao ser questionado se iria a uma exposição de fotos. Ele teria dito que não, pois da última vez havia sido confundido com Armando, ex-marido da modelo. A partir de então, ele se manteve em total descontrole.

"Fui para Nova York acompanhá-lo para o evento Homem do Ano. Saímos do restaurante e pegamos um Uber. Ao chegar ao apartamento, ele me deixou dentro do carro e subiu", disse Luiza ao jornal. 

Ela diz ter subido para o apartamento logo na sequência e se deparou com Lírio já de roupão assim que entrou na residência. Luiza afirma que ele iniciou uma série de agressões verbais e, em seguida, a acertou com um soco no olho e lhe disparou uma sequência de chutes. No relato, ainda consta que o empresário a teria imobilizado e quebrou quatro de suas costelas. O fim da tortura acabou quando a modelo ameaçou gritar pelo concierge. Ela teria conseguido escapar e se trancou no quarto até a manhã do dia seguinte, quando retornou ao Brasil.

"Eu sempre tive uma família estruturada e sempre fui discreta em minha vida pessoal. É doloroso aos 54 anos ter que me expor dessa maneira. Mas eu criei coragem, perdi o medo e a vergonha por causa da situação que nós, mulheres, vivemos no Brasil. É um desrespeito em relação à gente. O que mais nos inibe é a vergonha. Há mulheres com necessidade de ficar ao lado do agressor por questões econômicas, porque está acostumada ou mesmo por achar que a relação vai melhorar", relatou à publicação.

Em 2014, Lírio que é suplente de Eduardo Braga no Senado, foi eleito o político mais rico do Brasil pela revista norte-americana Forbes: o empresário conta com uma fortuna estimada em U$$ 1,9 bilhão (algo em torno de R$ 4 bilhões).

 

Publicidade
Publicidade