Publicidade
Cotidiano
SUPER MÃES

Mães de crianças com deficiência falam sobre amor incondicional aos filhos

Às vésperas do dia delas, mamães de Manaus contam rotina de dedicação aos filhos que precisam de cuidados especiais 11/05/2018 às 22:50
Show mae
Gabriela Brita, 30, fala da dedicação dada à filha, Isabelle Vitória Brito, 10, diagnosticada com paralisia cerebral e microcefalia. Foto: Euzivaldo Queiroz
Álik Menezes Manaus (AM)

“Nunca imaginei que um dia sentiria tanto amor por um filho ao ponto de mudar minha vida para viver em função deles”. A declaração é da dona de casa Gabriela Gomes de Brito, 30, que viu sua rotina mudar completamente após o nascimento da primeira filha, há dez anos.

A história de amor e superação da dona de casa é parecida com a de tantas outras guerreiras que travam uma luta diária para cuidar de filhos que nasceram com deficiência e precisam de cuidados mais especiais. Três meses após o nascimento, Isabelle Vitória Gomes Brito, hoje com 10 anos, foi diagnosticada com paralisia cerebral e microcefalia.

Gabriela, o marido, Rafael Guadalupe, e a sogra passaram a viver em função de Isabelle. “Quando ela nasceu foi um susto. Eu nunca me imaginei sendo mãe, mas hoje sei que ela foi um presente de Deus para mim. O pai dela  não quis saber dela, rejeita e fala mal. Mas Deus foi tão bom que me deu um novo marido que ama minha filha, que a trata como filha, e uma sogra que também mudou a vida dela para nos ajudar”, comentou a dona de casa.

Desafios

Da hora que levanta até a hora que vai dormir, a dona de casa se dedica à filha, que passa boa parte do dia sentada em uma cadeira de rodas. Por conta da atenção especial que a criança necessita, a família passa a maior parte do tempo dentro de casa. A mãe sai apenas para levar Isabelle às consultas médicas e o marido  para trabalhar, mas faz questão de voltar cedo para ajudar a cuidar da enteada.

“A gente não sai muito de casa. Eu evito bastante porque a saúde dela não é como a nossa, ela é mais frágil. Minha sogra e meu marido também não fazem questão de sair se não precisarem, então nossa família sempre está aqui reunida”, afirmou.

Dedicação sem limites

A dona de casa Helen Paula Mendes da Silva, 28, também teve a vida alterada pelo nascimento do filho. O pequeno Marckson Kaique Mendes Mariano, de 4 anos, tem paralisia cerebral e síndrome de West, uma condição epiléptica severa. “Tive um parto muito complicado, foram vários erros e ele já nasceu roxinho, quase morreu. Esse parto deixou sequelas”, comentou ela, emocionada.

Como toda mãe que sempre quer o melhor para os filhos, ela se dedica ainda mais ao pequeno por conta das limitações dele. “Ele faz fisioterapia e também tem atendimento com a fonoaudióloga. A rotina diária não é fácil, às vezes é bem cansativo”, contou.

Renovar as forças

Apesar do cansaço, Helen revelou que Marckson foi um dos melhores presentes que recebeu de Deus. Ele é o segundo filho, mas reforçou e renovou o significado da palavra amor na vida dela. Ela também reconhece as dificuldades para cuidar do filho e garantir qualidade de vida a ele, no entanto afirma que o amor a torna mais forte para superar as adversidades encontradas no dia a dia. ”O amor que sinto é inexplicável e hoje eu vivo para ele. Sou a mãe mais feliz do mundo”, disse.

Publicidade
Publicidade