Publicidade
Cotidiano
Notícias

Maioria dos deputados estaduais pelo Amazonas não economiza quando se trata de verba

De janeiro a agosto, os 24 parlamentares usaram 89% da Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar (Ceap) na Assembleia Legislativa do Amazonas 19/10/2015 às 19:48
Show 1
Nenhum parlamentar usou menos de 60% da Ceap até agosto. A verba é usada para cobrir despesas com passagens aéreas, telefonia, material de expediente e locação de imóveis, entre outras
Aristide Furtado Manaus (AM)

Em tempos de crise econômica, levantamento publicado no site da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM) mostra que a maioria dos deputados estaduais  não pouparam  no uso do cotão. De janeiro a agosto deste ano, os 24 membros da Casa Legislativa usaram 89% dos R$ 4,6 milhões da Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar (Ceap). Ao todo, gastaram R$ 4,099 milhões.

Cada parlamentar tem direito a uma verba mensal de R$ 25,6 mil para custear despesas com passagens aéreas, telefonia, material de expediente, locação de imóveis e combustível, assessoria jurídica, contábil, fretamento de aeronave e material de divulgação. O valor poupado em um mês pode ser usado até o fim do ano.

Os 14 deputados reeleitos totalizaram, nos oito primeiros meses deste ano, R$ 205,5 mil de cotão, com exceção de Luiz Castro (Rede), que abriu mão de 20% da verba. Os parlamentares que iniciaram o mandato em fevereiro tiveram à disposição R$ 179,8 mil.

Nenhum membro da Casa utilizou menos de 60% do valor creditado. Os gastos variaram de R$ 121,6 mil do deputado estadual Serafim Corrêa (PSB) a R$ 205,5 mil do colega Orlando Cidade (PTN). O ex-prefeito de Manaus compõe o grupo dos parlamentares que tem uma parcela a menos da Ceap por terem iniciado o mandato em fevereiro.

O presidente de honra do PSB foi o que menos utilizou esse recurso. Tem à disposição um saldo de R$ 58,3 mil para utilizar até o final de dezembro. Na outra ponta, Orlando Cidade cuja principal base eleitoral é o município de Manacapuru (a 84 quilômetro de Manaus) foi o único que zerou o cotão creditado nesse período.

Com boa parte de sua votação obtida nas calhas do Purus e Rio Negro, o deputado estadual Adjuto Afonso (PP) é o segundo da lista de utilização da Ceap. Lançou mão de  99,9% do cotão. Dos R$ 205,5 mil a quem tem direito, prestou contas de R$ 205,4 mil. Valor próximo dos gastos apresentados pelo deputado Wanderley Dallas (PMDB), o terceiro colocado, que empregou R$ 204,5 mil.

Entre os deputados novatos, Sabá Reis (PR), Platiny Soares (PV) e Bi Garcia (PSDB) são os que mais registraram despesas bancadas pelo cotão. Todos tiveram acesso a um total de R$ 179,8 mil, de janeiro a agosto. O primeiro gastou R$ 179,7 mil; o  segundo,   R$ 179,5 mil; e o terceiro, R$ 174,8 mil. 

Economia

Anunciadas em agosto deste ano como forma de se contrapor à redução de receita, os cortes de gastos implementados pela presidência da ALE-AM estão rendendo cerca de R$ 2 milhões por mês. A informação foi dada ontem pelo diretor-geral da Casa, Wander Mota, por meio da diretoria de Comunicação.

As medidas incluem a  suspensão dos fretamentos de aeronaves, dos serviços de Buffet, a redução em 25% do valor dos contratos, pagamento de diárias para deputados apenas para viagens para fora do Estado, a suspensão do pagamento de horas extras aos servidores, o horário do expediente foi alterado para as 14h para economizar  energia elétrica e os grupos de trabalho e gratificações foram todos cancelados.

Nos gabinetes dos deputados, em agosto, a cota de comunicação foi cortada em 50%, assim como a cota de combustíveis, no mesmo percentual.


Publicidade
Publicidade