Quarta-feira, 20 de Novembro de 2019
SALTO

Mais de 10 mil empregos foram criados no Amazonas em agosto, diz Caged

Cenário de oportunidades de trabalho com carteira assinada foi o melhor resultado para o mês de agosto desde 2013



show_18.09_SEMTEPI_509E9FEC-E6B7-496B-9C8F-E7D862EE4F1E.jpg Foto: Márcio James / SECOM
26/09/2019 às 07:34

O Amazonas apresentou saldo positivo na geração de empregos formais em agosto, com 1.905 novos postos de trabalho ocupados. O destaque é o setor de serviços, onde foram criados 891 novos empregos em agosto. Em seguida vem a construção civil, com 330; o comércio, com 301; e a indústria, com 296. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia. No acumulado do ano, já foram criados mais de 10,6 mil empregos formais no Estados. 

Apesar do bom desempenho dos principais setores da economia no Amazonas em agosto, os números da indústria, principal vetor da economia local, são menores que os registrados em agosto de 2018. Nessa comparação, a geração de empregos na indústria amazonense caiu 3,5%, revelando o cenário de incertezas que ainda envolve o setor.
No cenário nacional, o Brasil teve um saldo positivo na geração de emprego formal. Em agosto, o número de vagas adicionais no mercado de trabalho foi 121.387, que é o saldo positivo decorrente 1.382.407 admissões e de 1.261.020 desligamentos. 



O resultado de agosto representa uma variação de 0,31% em relação ao mês anterior. Foi o melhor resultado para o mês de agosto desde 2013, segundo os números. No acumulado de 2019 foram criados 593.467 novos postos, com variação de 1,55% do estoque do ano anterior. No mesmo período de 2018 houve crescimento de 568.551 empregos. 

Entre os principais setores da economia, quatro tiveram saldo positivo de emprego e em dois houve mais fechamento de vagas no mês encerrado em agosto. Lidera o número de empregos gerados a área de serviços (61.730 postos), seguida por comércio (23.626), indústria de transformação (19.517), construção civil (17.306), administração pública (1.391) e extrativa mineral (1.235). Apresentaram saldo negativo a agropecuária (-3.341 postos) e os serviços industriais de utilidade pública/SIUP (-77 postos).

Segundo o Secretário de Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Dalcolmo, “é importante enfatizar que se trata do melhor resultado para o mês de agosto desde 2013. Na condição de indicador antecedente, o CAGED sinaliza a recuperação gradativa do emprego e do crescimento econômico, após um primeiro semestre repleto de desafios”.
Regiões e salário médio

Todas as cinco macroreegiões do país registraram saldo positivo de emprego em agosto. No Sudeste, foram criados 51.382 novos empregos, seguido por Nordeste (34.697), Sul (13.267), Centro-Oeste (11.431) e Norte (10.610).  O salário médio de admissão em agosto de 2019 foi de R$ 1.619,45.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.