Terça-feira, 15 de Junho de 2021
IMPOSTO DE RENDA

Mais de 100 mil amazonenses ainda faltam declarar imposto de renda; prazo final se aproxima

Conforme o órgão, a expectativa é de que sejam entregues 360.400 declarações do Amazonas até o prazo final, estabelecido para 31 de maio



whatsapp-image-2020-12-24-at-17.19.07_870B369E-5FEA-468C-A16D-54A5DAA3874C.jpeg Foto: Reprodução/Rebeca Beatriz
14/05/2021 às 15:04

O prazo máximo para a entrega da Declaração de Ajuste Anual do Imposto sobre a Renda de Pessoas Físicas (DIRPF) vai até o dia 31 de maio e até então, 70% dos contribuintes, ou seja, 254.793 dos amazonenses declararam seus rendimentos junto à Receita Federal. Conforme o órgão, a expectativa é de que sejam entregues 360.400 declarações do Amazonas até o prazo final. 

Existem três formas de fazer a Declaração de Imposto de Renda (DIRPF): de forma online, diretamente pelo Portal e-CAC, na opção "Meu Imposto de Renda"; por meio de aplicativo “Meu Imposto de Renda”, disponível nas lojas Google Play (para sistema Android) ou App Store (para sistema iOS) ou baixando o Programa Gerador de Declaração (PGD) relativo ao ano (exercício) que deseja declarar no seu computador.



O analista fiscal, Danilo de Oliveira Rodrigues, que atua há 10 anos na área contábil, alerta para que os contribuintes não deixem para entregar suas declarações em cima da hora e destaca que caso haja dúvidas, procure um profissional qualificado para auxiliar na hora da execução. 

“As pessoas deixam para a última semana, esse é o normal. Mas a gente pede que se atentem aos prazos. A Receita Federal sabe do seu rendimento, por isso o nome da declaração é Ajuste Anual, então se você tem mais alguma coisa que possa deduzir no imposto a pagar ou que possa agregar, você necessita declarar e ajustar”.

Entre os obrigados a declarar, estão os contribuintes que receberam rendimentos tributáveis superiores a R$ 28.559,70 em 2020; aqueles que receberam rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte de mais de R$ 40 mil; quem tinha patrimônio de mais de R$ 300 mil em 31 de dezembro de 2020, como carro, imóvel, etc; quem fez operações na Bolsa; ou aquele que optou pela isenção do imposto cobrado sobre o ganho na venda de imóvel, ao usar o valor obtido para comprar outro em até 180 dias após a venda. 

Gastos com consultas médicas, dentistas, psicólogos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos, hospitais, serviços radiológicos, aparelhos ortopédicos, próteses ortopédicas e dentárias, além de exames laboratoriais, estão entre as despesas dedutíveis. 

De acordo com o § 2º-B da Lei 13.982, de 2 de abril de 2020, quem recebeu o auxílio emergencial no ano-calendário de 2020 e outros rendimentos tributáveis acima do valor da primeira faixa da tabela progressiva anual do imposto de renda (R$ 22.847,76), fica obrigado a apresentar a Declaração de Imposto de Renda de 2021, informar o rendimento e deve devolver o valor do auxílio recebido por ele e por seus dependentes.

“Não são todas as pessoas que receberam o auxílio emergencial que devem declarar. Isso é importante dizer. Somente aqueles que tiveram rendas superiores a 22 mil, a exemplo de empresários que tiveram que parar, em 2020, por razões óbvias e para sobreviver pediram o auxílio emergencial. Essas pessoas continuaram tendo algum rendimento, e quem teve rendimento superior ao valor, precisa declarar e devolver o auxilio emergencial”, explicou Danilo Rodrigues. Outras informações ou dúvidas, o contribuinte pode acessar o site da Receita Federal por meio do endereço: https://www.gov.br/receitafederal/pt-br.

Punições: Pagamento de Multas

De acordo com a membro do Conselho Federal de Contabilidade (CFC) e coordenadora do curso de Ciências Contábeis da Faculdade Martha Falcão, Lucilene Florêncio Viana, quem não entregar a tempo a declaração de Imposto de Renda sofrerá as sanções de multas por atraso.

“A declaração entregue fora do prazo estabelecido pela Receita Federal está sujeita a multa de R$ 165,74, até 20% do imposto devido. Já para quem teve imposto devido, a multa é de 1% ao mês, limitada a 20% do imposto devido”. 

Conforme ela, com base na legislação e procedimentos de fiscalização da Receita Federal, bem como o de cruzamento de dados, poderá ser lançada no auto de infração, como regra geral, a multa de ofício, que é de 75% sobre o valor de imposto devido. “O Direito tributário classifica a situação, por exemplo, de  tentativa de ocultar informações, este valor pode alcançar o patamar de 150%, como multa qualificada, além de outras sanções”. 

Atendimento Solidário

Para ajudar aquele contribuinte manauara que tem alguma dificuldade ao realizar a declaração do Imposto de renda, a Faculdade Martha Falcão realiza atendimento solidário à população, basta que o declarante leve os documentos pessoais e doe uma lata de leite em pó. 

O contribuinte deve deixar os documentos referentes à declaração em um envelope na portaria da faculdade, que está localizada na rua Natal, nº 300, bairro Adrianópolis, Zona Centro-Sul de Manaus, com o número de telefone para contato que será utilizado para o atendimento. São os alunos do curso de Ciências Contábeis que realizam as declarações de forma semipresencial às terças e quintas-feiras, de 14h às 17h. 

O professor da Faculdade Martha Falcão e coordenador do projeto, João Dantas, lembra que pelo 12º ano consecutivo, o projeto acontece em Manaus. O trabalho é solidário, pois beneficia instituições sociais da capital amazonense. Ele também chama a atenção para o novo prazo informado pela Receita Federal. João Dantas destaca que é importante o contribuinte levar a declaração anterior para facilitar a coleta de informações.

“O contribuinte tem de ficar atento que o prazo final é 31 de maio. E, nós, na faculdade, realizaremos as declarações até o dia 28 de maio. Muitos optam por um serviço mais barato, que não é feito por uma pessoa habilitada, um dos motivos de muitos caírem na ‘malha fina’. Aqui, os alunos têm conhecimento, são treinados e acompanhados por professor tutor para fazer uma declaração correta. Além disso, tem-se a oportunidade de ajudar uma instituição beneficente”, explica. 

Além da lata de leite em pó, é preciso levar documentação pessoal como RG, CPF, Comprovante de residência e a Declaração de Imposto de Renda do ano anterior (2020, ano base 2019). Comprovantes e notas fiscais de serviços dedutíveis como recibos de médicos, dentistas, além dos informes de rendimento de bancos, do plano de previdência, do plano de saúde e da empresa onde trabalha. Caso haja aquisição de bens como carro e imóveis, por exemplo, é preciso apresentar documentos comprobatórios da aquisição. Outra observação é que os dependentes acima de 0 ano precisam ter CPF para serem declarados como tal, conforme exigência da Receita Federal.

News karol 2d8bdd38 ce99 4bb8 9b75 aaf1a868182f
Repórter de Cidades
Jornalista formada pela Uninorte. Apaixonada pela linguagem radiofônica, na qual teve suas primeiras experiências, foi no impresso que encarou o desafio da prática jornalística e o amor pela escrita.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.