Terça-feira, 23 de Abril de 2019
publicidade
1.jpg
publicidade
publicidade

Notícias

Mais recursos na saúde e educação na pauta de 2013 pelo Senado

O senador Eduardo Braga (PMDB) propôs o investimento de 75% para a educação e 25% para a saúde dos royalties do petróleo


21/12/2013 às 17:41

O aumento dos recursos destinados às áreas de saúde e educação esteve em pauta no Senado em 2013. O Plenário aprovou, no início do mês de julho, o substitutivo do senador Eduardo Braga (PMDB-AM) ao Projeto de Lei da Câmara (PLC) 41/2013, que destina os royalties da exploração do petróleo na camada pré-sal à educação (75%) e à saúde (25%). A matéria deu origem à lei 12.858/2013, sancionada em setembro. Conforme o relator, a nova lei pode garantir cerca de R$ 4 bilhões a mais para a área de educação já em 2014.

“Garantimos às futuras gerações a sequência da capacidade de investimento tanto na educação quanto na saúde “, disse Eduardo Braga na ocasião.

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 22A/2000, a PEC do Orçamento Impositivo, também destina mais recursos para a saúde. Aprovada em novembro no Senado, a proposta garante a execução das emendas parlamentares individuais, desde que pelo menos 50% dos recursos das emendas sejam convertidos em investimentos em favor da área da saúde.

Outro incremento aos recursos para a saúde, incluído durante a tramitação da matéria no Senado, foi a previsão de que a União destine 15% de sua Receita Corrente Líquida para a área. Com a proposta, a previsão de senadores e líderes governistas é que a saúde terá pelo menos R$ 64 bilhões a mais até 2018, sendo R$ 8 bilhões já no próximo ano. A matéria está em análise na Câmara dos Deputados.

Mais recursos para a educação também foram previstos no Plano Nacional de Educação (PNE), aprovado na noite da última terça-feira (17) e enviado à Câmara. O PNE (PLC 103/2012) tem 14 artigos, 21 metas e 177 estratégias que visam, entre outros objetivos, erradicar o analfabetismo e universalizar o atendimento escolar, com o aumento de vagas em creches e universidades públicas. O plano ainda prevê a destinação de 10% do Produto Interno Bruto (PIB) para a educação e a qualificação dos professores e dos demais profissionais da área.

Financiamento da saúde

Na busca de soluções para o financiamento da saúde pública, o Senado criou uma comissão especial para tratar do tema. Presidida pelo senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), a comissão teve o senador Humberto Costa (PT-PE) como relator. A comissão temporária concluiu seus trabalhos no último dia 10 de dezembro, sustentando que não bastam melhorias de gestão para que os serviços alcancem um padrão melhor.

O relatório aprovado aponta um déficit anual de R$ 45 bilhões na área e sugere aumento de tributos para ampliar os recursos, como a regulamentação do Imposto sobre as Grandes Fortunas, além de um acréscimo no valor das apostas das loterias e a retomada dos estudos sobre a criação de um imposto nos moldes da antiga CPMF.


publicidade
publicidade
Contratos de patrocínio da Petrobras passam por revisão, diz Bolsonaro
Greve dos professores será marcada por protestos em Manaus nesta segunda (22)
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.