Publicidade
Cotidiano
Notícias

Manaus e mais 8 municípios do AM receberão ação de militares contra o Aedes, no sábado (13)

Segundo governador José Melo, em apenas um mês foram visitadas 200 mil residências no Amazonas, Para ele, com a participação das Forças Armadas será possível atingir um número ainda maior de moradias. Indicadores da FVS apontam para mais de 7,8 mil casos de dengue em 2015, no Amazonas 11/02/2016 às 22:05
Show 1
Militares irão encabeçar ação simultânea em todo o País para combater possíveis focos do mosquito aedes aegypti
antônio paulo Sucursal - Brasília (DF)

A capital Manaus e mais oito municípios do Estado do Amazonas vão receber a visita de 12 militares das Forças Armadas no próximo sábado (13), quando acontece o Dia Nacional de Mobilização contra o Aedes aegypti, mosquito transmissor dos vírus da dengue, chikungunya e Zika. O ministro da Defesa, Aldo Rebelo, anunciou oficialmente nesta quinta-feira (11) que 220 mil militares do Exército Marinha e Aeronáutica serão utilizados nesta fase da mobilização. 
 
No Estado do Amazonas, além de Manaus, as Forças Armadas e os agentes comunitários atuarão nos municípios de Barcelos, Boca do Acre, Eirunepé, Humaitá, Itacoatiara, Manaus, Parintins, São Gabriel da Cachoeira, Tabatinga e Tefé. Em toda a Região Norte, serão 28,3 mil membros da Marinha, Exército e Aeronáutica.
 
O governador José Melo, o prefeito de Manaus, Arthur Neto, o secretário estadual de Saúde, Pedro Elias, e o comandante da 12ª Região Militar do Exército, general Antônio Maxwell Eufrásio, também convocaram na tarde desta quinta-feira a população amazonense a participar do combate ao Aedes aegypti.
 
“Não adianta um fazer a sua parte e o outro não fazer. Porque basta uma casa com a presença de focos do Aedes aegypti para que todo o quarteirão seja infestado. Então, é necessário que 100% das residências no Amazonas sejam visitadas e que seja feito um trabalho educativo com a população. Esse é um inimigo que não se combate sozinho”, enfatizou José Melo.
 
No final de 2015, o Governo do Estado e a Prefeitura de Manaus lançaram uma força-tarefa, disponibilizando R$ 9 milhões para o combate e prevenção do mosquito em todo o Amazonas, com a realização de visitas a residências em Manaus e no interior, além de entrega de material educativo e capaz de proteção de depósitos domésticos e água.

Segundo José Melo, em apenas um mês, foram visitadas 200 mil residências e afirmou que, com a participação das Forças Armadas, será possível atingir um número maior de moradias. “As Forças Armadas na Amazônia já mostraram que vão além das suas atribuições constitucionais e, mais uma vez, eles vão nos auxiliar em um trabalho importantíssimo, que sem eles não poderia ser realizado”.

Indicadores da Fundação de Vigilância em Saúde, o Amazonas registrou 7.835 casos de dengue, em 2015, com redução de 30,6% em relação ao ano anterior, quando foram notificados 11.300 casos da doença. Em relação ao Chikungunya, 2015 fechou com a notificação de 170 casos da doença.

Etapa de conscientização

Na entrevista coletiva, em Brasília, o ministro Aldo Rebelo explicou que nessa etapa, que definiu como de mobilização, os militares serão deslocados para diversas cidades para a ação. Nessa fase, haverá panfletagem e a presença de autoridades do governo. A ação vai mobilizar todos os órgãos do governo federal e ocorrerá em mais de 350 municípios do país. O objetivo é conscientizar a população da importância de eliminar os nascedouros do mosquito. 
 
“A etapa do dia 13 é para mobilizar a população. É preciso haver mobilização da população para que, permanentemente, removam-se das casas os focos de multiplicação dos mosquitos. O esclarecimento é importante para que cada família se mobilize permanentemente. Esse é o objetivo do sábado”, ressaltou o ministro da Defesa, Aldo Rebelo. Os ministros, secretários executivos e outras autoridades federais também participarão da ação, que será realizada em vários estados.


Bairros de Manaus

Em Manaus, a ação está sendo organizada pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), em parceria com a Susam, e executada com o apoio do Exército, Marinha e Aeronáutica.

Serão 11,2 mil pessoas - sendo cerca de 7,6 mil militares e o restante servidores públicos -, atuando no sábado de mobilização. Além das visitas domiciliares para identificação e eliminação dos focos de Aedes aegypti, haverá atividades de orientação e distribuição de material informativo em oito pontos estratégicos da cidade.
 
As atividades acontecerão nos seguintes pontos da cidade: Zona Leste – cruzamento da rua do Fuxico com Grande Circular e na avenida Pirarucu, em frente à Unidade Básica de Saúde Gebes Medeiros, no Jorge Teixeira III. Na Zona Norte, a concentração das equipes será no semáforo em frente ao Shopping Samaúma, na Cidade Nova e no semáforo próximo à Unidade Básica de Saúde Arthur Virgílio, no Novo Aleixo.

Na Zona Sul, os locais escolhidos foram a Bola do Eldorado, no Parque Dez e em frente à igreja Nossa Senhora de Fátima, na avenida Tarumã, Praça 14. Na Zona Oeste, a ação acontecerá no semáforo localizada na área do conjunto Campos Elíseos (estrada dos Franceses, próximo ao clube do Sesc) e no minishopping próximo à Feira da Compensa. 
 
A meta é que durante o dia de mobilização, só em Manaus, sejam inspecionados 72.813 imóveis, em 43 bairros, distribuídos por todas as zonas da cidade. Já no interior, a estimativa é que sejam visitados 26.940 domicílios, nos municípios infestados pelo Aedes aegypti. Somente no interior, 7,2 mil profissionais das secretarias municipais de saúde e de outras áreas afins, estarão envolvidos na atividade.

Interior do Estado

O secretário de Saúde do Estado, Pedro Elias, explicou que os municípios do interior já receberam todo o material informativo para ser utilizado no Dia de Mobilização.


“Haverá visitas casa a casa, blitze educativas em locais públicos, palestras, limpeza urbana, divulgação de informações em carros de som, entre outras atividades voltadas para sensibilizar a população sobre a importância da identificação e eliminação dos criadouros dos mosquitos Aedes aegypti”, disse Pedro Elias. Ele acrescentou que 12 municípios do entorno de Manaus terão o reforço de técnicos da FVS, enviados para auxiliar nas atividades do dia de mobilização.

Próximas etapas

Ainda estão previstas duas etapas da campanha nacional de combate ao Aedes. Entre os dias 15 e 18 de fevereiro, 50 mil militares, sob a coordenação do Ministério da Saúde, farão visitas nas residências, acompanhados por agentes de saúde, para inspecionar possíveis focos de proliferação, orientando os moradores e, se for o caso, fazendo aplicação de larvicida em criadouros.
 
A última etapa, ainda em fase de elaboração com o Ministério da Educação (MEC), prevê a participação de visitas a escolas. A meta é reforçar o trabalho de conscientização das crianças e adolescentes sobre como evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti.

Sintomas

Transmitido pelo Aedes aegypiti, mesmo vetor dos vírus da dengue e da Chikungunya, o Zika provoca dor de cabeça, febre baixa, dores leves nas articulações, manchas vermelhas na pele, coceira e vermelhidão nos olhos.

Outros sintomas menos frequentes são inchaço no corpo, dor de garganta, tosse e vômitos. A grande preocupação, no entanto, é a relação entre o Zika e a ocorrência de microcefalia, já confirmada pelo ministério da Saúde.

A capital Manaus e mais oito municípios do Estado do Amazonas vão receber a visita de 12 militares das Forças Armadas no próximo sábado (13), o Dia Nacional de Mobilização contra o Aedes aegypti, mosquito transmissor dos vírus da Dengue, Chikungunya e Zika. O ministro da Defesa, Aldo Rebelo, anunciou oficialmente nesta quinta-feira (11) que 220 mil militares do Exército Marinha e Aeronáutica serão utilizados nesta fase da mobilização. 


No Estado do Amazonas, além de Manaus, as Forças Armadas e os agentes comunitários  nos municípios de Barcelos, Boca do Acre, Eirunepé, Humaitá, Itacoatiara, Manaus, Parintins, São Gabriel da Cachoeira,  Tabatinga e  Tefé. Em toda a Região Norte, serão 28,3 mil membros da Marinha, Exército e Aeronáutica.


O governador José Melo, o prefeito de Manaus, Arthur Neto, o secretário estadual de Saúde, Pedro Elias, e o comandante da 12ª Região Militar do Exército, general Antônio Maxwell Eufrásio, também convocaram na tarde desta quinta-feira a população amazonense a participar do combate ao Aedes aegypti.


“Não adianta um fazer a sua parte e o outro não fazer. Porque basta uma casa com a presença de focos do Aedes aegypti para que todo o quarteirão seja infestado. Então, é necessário que 100% das residências no Amazonas sejam visitadas e que seja feito um trabalho educativo com a população. Esse é um inimigo que não se combate sozinho”, enfatizou José Melo.


No final de 2015, o Governo do Estado e a Prefeitura de Manaus lançaram uma força-tarefa, disponibilizando R$ 9 milhões para o combate e prevenção do mosquito em todo o Amazonas, com a realização de visitas a residências em Manaus e no interior, além de entrega de material educativo e capaz de proteção de depósitos domésticos e água.


Segundo José Melo, em apenas um mês, foram visitadas 200 mil residências e afirmou que, com a participação das Forças Armadas, será possível atingir um número maior de moradias. “As Forças Armadas na Amazônia já mostraram que vão além das suas atribuições constitucionais e, mais uma vez, eles vão nos auxiliar em um trabalho importantíssimo, que sem eles não poderia ser realizado”.


Indicadores da Fundação de Vigilância em Saúde, o Amazonas registrou 7.835 casos de dengue, em 2015, com redução de 30,6% em relação ao ano anterior, quando foram notificados 11.300 casos da doença. Em relação ao Chikungunya, 2015 fechou com a notificação de 170 casos da doença.


Etapa de conscientização

Na entrevista coletiva, em Brasília, o ministro Aldo Rebelo explicou que nessa etapa, que definiu como de mobilização, os militares serão deslocados para diversas cidades para a ação. Nessa fase, haverá panfletagem e a presença de autoridades do governo. A ação vai mobilizar todos os órgãos do governo federal e ocorrerá em mais de 350 municípios do país. O objetivo é conscientizar a população da importância de eliminar os nascedouros do mosquito. 


“A etapa do dia 13 é para mobilizar a população. É preciso haver mobilização da população para que, permanentemente, removam-se das casas os focos de multiplicação dos mosquitos. O esclarecimento é importante para que cada família se mobilize permanentemente. Esse é o objetivo do sábado”, ressaltou o ministro da Defesa, Aldo Rebelo. Os ministros, secretários executivos e outras autoridades federais também participarão da ação, que será realizada em vários estados.


Interior do Estado

O secretário de Saúde do Estado, Pedro Elias, explicou que os municípios do interior já receberam todo o material informativo para ser utilizado no Dia de Mobilização. “Haverá visitas casa a casa, blitze educativas em locais públicos, palestras, limpeza urbana, divulgação de informações em carros de som, entre outras atividades voltadas para sensibilizar a população sobre a importância da identificação e eliminação dos criadouros dos mosquitos Aedes aegypti”, disse Pedro Elias. Ele acrescentou que 12 municípios do entorno de Manaus terão o reforço de técnicos da FVS, enviados para auxiliar nas atividades do dia de mobilização.


Bairros de Manaus

Em Manaus, a ação está sendo organizada pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), em parceria com a Susam, e executada com o apoio do Exército, Marinha e Aeronáutica. Serão 11,2 mil pessoas, entre militares e servidores públicos, atuando no sábado de mobilização. Além das visitas domiciliares para identificação e eliminação dos focos de Aedes aegypti, haverá atividades de orientação e distribuição de material informativo em oito pontos estratégicos da cidade.


As atividades acontecerão nos seguintes pontos da cidade: Zona Leste – cruzamento da rua do Fuxico com Grande Circular e na avenida Pirarucu, em frente à Unidade Básica de Saúde Gebes Medeiros, no Jorge Teixeira IIINa Zona Norte, a concentração das equipes será no semáforo em frente ao Shopping Samaúma, na Cidade Nova e no semáforo próximo à Unidade Básica de Saúde Arthur Virgílio, no Novo Aleixo. Na Zona Sul, os locais escolhidos foram a Bola do Eldorado, no Parque Dez e em frente à igreja Nossa Senhora de Fátima, na avenida Tarumã, Praça 14. Na Zona Oeste, a ação acontecerá no semáforo localizada na área do conjunto Campos Elíseos (estrada dos Franceses, próximo ao clube do Sesc) e no minishopping próximo à Feira da Compensa. 


A meta é que durante o dia de mobilização, só em Manaus, sejam inspecionados 72.813 imóveis, em 43 bairros, distribuídos por todas as zonas da cidade. Já no interior, a estimativa é que sejam visitados 26.940 domicílios, nos municípios infestados pelo Aedes aegypti. Somente no interior, 7,2 mil profissionais das secretarias municipais de saúde e de outras áreas afins, estarão envolvidos na atividade.



Sintomas

Transmitido pelo Aedes aegypiti, mesmo vetor dos vírus da dengue e da Chikungunya, o Zika provoca dor de cabeça, febre baixa, dores leves nas articulações, manchas vermelhas na pele, coceira e vermelhidão nos olhos. Outros sintomas menos frequentes são inchaço no corpo, dor de garganta, tosse e vômitos. A grande preocupação, no entanto, é a relação entre o Zika e a ocorrência de microcefalia, já confirmada pelo ministério da Saúde.


Próximas etapas
Ainda estão previstas duas etapas da campanha nacional de combate ao Aedes. Entre os dias 15 e 18 de fevereiro, 50 mil militares, sob a coordenação do Ministério da Saúde, farão visitas nas residências, acompanhados por agentes de saúde, para inspecionar possíveis focos de proliferação, orientando os moradores e, se for o caso, fazendo aplicação de larvicida em criadouros.


A última etapa, ainda em fase de elaboração com o Ministério da Educação (MEC), prevê a participação de visitas a escolas. A meta é reforçar o trabalho de conscientização das crianças e adolescentes sobre como evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti.

Publicidade
Publicidade