Publicidade
Cotidiano
Notícias

Manaus é penúltima do ranking que oferece transparência aos gastos das obras da Copa

O levantamento feito pelo Instituto Ethos pontuou de zero a 100 as 12 cidades-sede e analisou a existência de portais de transparência na Internet 29/05/2013 às 11:31
Show 1
Construção da Arena Amazônia é uma das obras de preparação para a Copa
acritica.com ---

Com 13,01 pontos Manaus é a penúltima cidade em índice de transparência sobre os investimentos em infraestrutura para a Copa do Mundo de 2014 e para os Jogos Olímpicos de 2016. A informação foi divulgada nesta terça-feira (28) pelo Instituto Ethos na palestra Lei de Acesso à Informação: Desafios para a sua efetiva implantação, que ocorreu na Assembleia Legislativa (ALE-AM).

O estudo pontuou de zero a 100 as 12 cidades-sede e analisou a existência de portais de transparência na Internet; a permanência de espaço físico para atendimento de informação sobre a Copa; a realização de audiências públicas e a publicação dos resultados dessas audiências e a implantação de ouvidoria e estimativa de resposta à população sobre as demandas. Neste último ponto, Manaus demorou 22 dias para responder a questionamento feito pelo Instituto Ethos.

Em transparência, a capital amazonense só ganhou de Cuiabá, que ficou com 10,17 pontos. Em ordem decrescente de pontuação, o primeiro lugar em transparência ficou com Porto Alegre (RS), com 48,87 pontos; Belo Horizonte (MG), com 48,44 pontos; São Paulo (SP), com 18,36 pontos; Natal (RN), com 15,36 pontos; Curitiba (PR), com 15,24 pontos; Rio de Janeiro (RJ), com 14,98 pontos; Salvador (BA), com 14,46 pontos; Brasília, com 14,29 pontos; Recife (PE), com 14,01 pontos e Fortaleza (CE), com 13,94 pontos.

De acordo com a Coordenadora de Projetos e Políticas Públicas do Instituto Ethos, Lisandra Carvalho, a pesquisa nem mesmo se baseia em índice de 100 pontos para avaliar as cidades. “Em um estudo para uma ‘cidade referência’ que atendesse todos os requisitos que pedimos na pesquisa chegaria a 75,02 pontos, que é nossa meta de cidade ideal. Percebem que apenas duas cidades ficaram com índices médios de transparência e a maioria está com índices muito baixos de transparência”, disse Carvalho.

Participaram da palestra o procurador-geral da Procuradoria Federal do Amazonas (AGU-AM), Carlos Alberto Barreto, o deputado estadual José Ricardo (PT) e o presidente do sindicato dos jornalistas profissionais do Amazonas, Wilson Reis.

Publicidade
Publicidade