Publicidade
Cotidiano
Notícias

Manaus fechará 2014 com 12% de crescimento em arrecadação

O secretários de finanças anunciou que Manaus arrecadou em 2014 R$400 bi, o que representa um crescimento de 12%. Para o ano que vem, a meta é aumentar a arrecadação em R$500 milhões 22/12/2014 às 16:49
Show 1
O prefeito de Manaus, Arthur Neto, espera que o pacote gere um aumento na arrecadação tributária no próximo ano
Camila Leonel Manaus (AM)

Em 2014, Manaus arrecadou R$ 4 bilhões, o que representa um crescimento de 12% em relação a 2013. Esse número é menor que o crescimento registrado em 2013, quando a capital amazonense cresceu 14%. Essa diminuição se deve ao momento econômico que o País viveu neste ano. Em 2015, a meta é aumentar o faturamento do município em R$500 milhões.

De acordo com o Ulisses Tapajós, secretário da Secretaria Municipal de Finanças (Semef), a meta para o próximo ano é “aumentar continuamente a disponibilidade financeira da prefeitura mesmo com o ambiente financeiro brasileiro hostil, de tal maneira a proporcionar ao prefeito, Arthur Virgílio os recursos necessários para os investimentos em infraestrutura, na área social para transformar a nossa cidade em uma das cidades mais agradáveis para nós vivermos no Brasil”, disse Tapajós.

Para aumentar essa disponibilidade, a Secretaria de Finanças apresentou um pacote de projetos que digitaliza os trâmites da Semef, representando uma economia de R$150 milhões para os cofres públicos, que economizará com papel, por exemplo e arrecadará mais com a facilidade no pagamento de tributos.

O prefeito de Manaus, Arthur Neto, espera que o pacote gere um aumento na arrecadação tributária no próximo ano. “Esse é um projeto ‘infraestruturante’ dos trabalhos da nossa prefeitura, com isso a gente espera obter mais recursos para nós podermos realizar mais coisas, mais obras, mais melhorias com recursos próprios da prefeitura”. Para o prefeito, outro ponto importante é a transparência do município.

“Nós queremos transparência máxima nosso objetivo e nós consideramos tanto o lado moral como o lado prático, para nós cada vez mais, conquistarmos a confiança do contribuinte porque aí ele não vai atrasar o pagamento dos seus tributos ele confiando, sabendo que aquilo vai virar obra efetiva, vai virar benefício para sua vida, ele vai investir na gente.Esse é o objetivo que a gente tem na cabeça”, disse Arthur.

Além do pacote, o Ulisses Tapajós disse que a Semef tem outras estratégias como aproximação da secretaria local com secretarias de outras cidades mais afastadas para observar e aprender como o trabalho é feito nessas cidades. “Na área de arrecadação municipal, nosso principal trabalho tem sido visitar as outras prefeituras mais avançadas do que nós para verificar que nichos de mercado, principalmente a nível de ISS, como essas prefeituras estão trabalhando. Nós temos auditores fiscais em Santos para aprender como se faz arrecadação nas operações portuárias, temos auditores fiscais na Avenida Paulista, na  Secretaria de Finanças em São Paulo, na secretaria de finanças aprendendo como se faz auditoria em agência bancária”, explicou.

Outro meio que o governo promete melhorar é na área de arrecadação do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). “A gente tem aprendido muito e a principal solução é nós transformamos o nosso cadastro, que é bastante falho, naquilo que a gente chama de cadastro perfeito”. Atualmente, Manaus possui 550 mil imóveis, porém apenas 200 mil são cadastrados. A proposta da Prefeitura é, até o final de 2015, ter todos os 550 mil imóveis cadastrados e consequentemente, aumentando a receita municipal de IPTU. “Ao ter esse trabalho muito forte com uma equipe de auditores fiscais muito competentes e muito motivados para que nós cresçamos significativamente na arrecadação de Manaus. O prefeito Arthur Virgílio precisa de disponibilidade financeira de recursos próprios para poder investir na nossa cidade e transformar Manaus em das cidades com melhor qualidade de vida do Brasil”.


Publicidade
Publicidade