Publicidade
Cotidiano
Notícias

Manaus se mantém como a sexta maior economia do Brasil, segundo levantamento do IBGE

Com sua renda gerada, principalmente, pelo setor industrial e de serviços, Manaus é o município que mais contribui em renda no Estado do Amazonas, concentrado 77,7% das riquezas 11/12/2014 às 17:15
Show 1
Manaus concentra mais de 70% de toda a riqueza do Estado do Amazonas
Camila Leonel Manaus (AM)

Manaus possui o sexto maior Produto Interno Bruto (PIB) entre as capitais brasileiras, segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apresentados nesta quinta-feira (11). Com participação de 1,1% no Produto Interno, a capital amazonense aparece atrás de capitais como São Paulo (1°), Rio de Janeiro (2°), Brasília (3°), Curitiba (4º) e Belo Horizonte (5°).  Juntas, as seis capitais são responsáveis por 25% de toda a geração de renda do País. Dados da pesquisa do IBGE, feita em 2012, mostram que Manaus gera 77,7% do PIB do Amazonas, sendo o Estado que mais depende de sua capital. Manaus também é a segunda capital com maior concentração de renda per capita do País, perdendo apenas para Brasília.

Das seis capitais que mais contribuem para o PIB, Manaus possui uma peculiaridade: é a única capital com equilíbrio entre a atividade Industrial (indústria de transformação) e de serviços. As demais capitais são tradicionalmente identificadas como concentradores de atividades de serviços - intermediação financeira, comércio e administração pública.

Cidade-estado

Apesar de a maior parte do PIB produzido no Amazonas vir de Manaus, a participação da capital diminuiu. O percentual da participação caiu de 81,2%, em 2008, para 77,7% em 2012. A dependência do Estado em relação à sua capital acompanha uma tendência verificada no norte e nordeste do País, onde as capitais são responsáveis por mais de 50% do Produto Interno Bruto do Estado.

Entre os municípios amazonenses, as posições ocupadas pelos dez municípios mais ricos do Estado praticamente se mantiveram na comparação com o ano anterior com Manaus, Coari e Itacoatiara nas três primeiras posições. As únicas alterações foram na nona posição onde Maués cedeu lugar para Lábrea e caiu para décima segunda posição. Na 10ª posição, Iranduba cedeu lugar para Rio Preto da Eva e caiu para décima primeira posição.

No primeiro caso, Maués perdeu participação nos impostos, na agropecuária, nos serviços e na administração. Enquanto Lábrea aumentou sua participação na agropecuária, nos serviços e na administração. Já no segundo caso, Iranduba teve queda expressiva na agropecuária e na administração. Enquanto Rio Preto da Eva aumentou sua participação na agropecuária, na indústria e nos serviços. 

O Produto Interno Bruto - PIB dos Municípios é desenvolvido desde o ano 2000, em parceria com os órgãos estaduais de estatística, secretarias estaduais de governo e a Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa). Nesse projeto, coube ao IBGE a tarefa de coordenar as discussões metodológicas, treinar as equipes técnicas e acompanhar os trabalhos, seguindo os princípios fundamentais das estatísticas oficiais, e, aos organismos estaduais, o cálculo do PIB dos Municípios.

 

Publicidade
Publicidade