Publicidade
Cotidiano
Notícias

Manaustrans realiza pesquisa de trânsito em bairros com vias públicas super movimentadas

De acordo com o diretor adjunto do Manaustrans, Paulo Henrique Martins, concluída a pesquisa nos locais de maior fluxo, a equipe vai entrar nos bairros onde o trânsito também é problemático 30/01/2013 às 09:40
Show 1
Técnico do Manaustrans controla o número de carros que circulavam nesta terça, em horário de pico, na ‘Bola das Letras’
nelson brilhante ---

Números oficiais dão conta de que, no final de dezembro do ano passado, mais de 580 mil carros estavam circulando em Manaus. Considerando que a frota dobra a cada sete anos, em 2020 teremos 1 milhão e 200 mil veículos transitando na cidade. Na tentativa de encontrar alternativas práticas que aliviem os efeitos dessa proliferação, o Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans) iniciou nesta terça-feira (29), uma pesquisa para saber o número de veículos que passam por hora nos principais corredores viários e cruzamentos da cidade. Também é levantada a origem e o destino dos veículos.

A coleta de dados foi iniciada nesta terça-feira, por nove pesquisadores, na rotatória da praça Umberto Calderaro Filho, a ‘ Bola das Letras’, no bairro Dom Pedro, Zona Centro-Oeste. Nesta quarta-feira (30), a equipe estará, de 6h30 às 8h30 e de 17h às 19h, na rua Telmário Pinto, seguimento da avenida Darcy Vargas. A primeira etapa da pesquisa será completada com as avenidas Darcy Vargas, Ephigênio Salles, Rodrigo Otávio e André Araújo além das rotatórias do São José e do Coroado.

De acordo com o diretor adjunto do Manaustrans, Paulo Henrique Martins, concluída a pesquisa nos locais de maior fluxo, a equipe vai entrar nos bairros onde o trânsito também é problemático.

“Estamos fazendo um raio X do trânsito para identificar os problemas. A partir daí é que montaremos estratégias de combate ao problema. Essas alternativas podem ir de uma simples sinalização a construção de um viaduto. O prefeito (Artur Neto) quer que tracemos um perfil do que poderá ser feito nos próximos anos”, declarou.

(A íntegra deste conteúdo está disponível para assinantes digitais ou na versão impressa).

Publicidade
Publicidade