Publicidade
Cotidiano
Notícias

Manicoré (AM) vive racionamento de energia elétrica após problemas em geradores

Quatro geradores com problemas deixaram a população convivendo com falta de água e escolas sem aulas no município  09/06/2015 às 09:18
Show 1
Crise no fornecimento de energia elétrica afeta Unidades Básicas de Saúde, escolas e outras instituições do município
acritica.com ---

Um problema em quatro geradores no sistema de abastecimento da rede da Eletrobras Amazonas Energia no Município de Manicoré (a 654 quilômetros de Manaus) deixou a população sem energia elétrica e sem água. Algumas instituições suspenderam as atividades por não suportarem as condições. Aproximadamente 15 mil estudantes, incluindo rede municipal e estadual de educação, foram prejudicados.

Apesar de representantes municipais afirmarem que a situação do racionamento ocorre há quase dois meses, a Eletrobrás informou em nota que só tomou conhecimento da situação no dia 19 do mês passado e que prontamente deslocaram uma equipe para o município, dando início ao Plano de Ação Emergencial.

Segundo o diretor da Eletrobras Amazonas Energia, Miguel Capobiango, a grande quantidade de curtos em série, além de queimar os geradores, comprometeu o sistema de proteção da usina. Com isso, o racionamento se tornou a opção para a resolução parcial do problema. Em conseqüência do incidente, escolas e postos de saúde tiveram que redimensionar ou suspender suas atividades, segundo afirma o prefeito da cidade Lúcio Flávio.

“Nós tivemos que suspender muitas aulas. Às vezes transferíamos para o saguão da escola por conta do calor, mas muitas vezes não conseguíamos realizar nenhuma atividade. Mesmo porque com a luz indo embora, a água também acaba, por conta do poço”, afirma o coordenador geral da Seduc em Manicoré, Bosco França.

As Unidades Básicas de Saúde (Ubs) do município tiveram que transferir as vacinas para o hospital, por conta do gerador de energia presente nele. “Se tivéssemos mantido nas unidades, as vacinas teriam vencido. Alem disso, todo o material que pudesse ser comprometido com essa ausência de energia também foi deslocado para o local, para o hospital do município, que possui gerador”, afirma o secretário de saúde, Yuri Lelo Reis.

Mesmo com o diagnóstico da situação, a Amazonas Energia não estipulou prazo para a solução total do problema, devido a sua gravidade. “Não adianta colocar outros geradores porque com os curtos, queimarão novamente”, explica Capobiango.

Solução definitiva

Para o restabelecimento do sistema, três ‘religadores’ serão instalados. Além disso, a troca do barramento, que hoje encontra-se subdimensionado, e a instalação de um terceiro alimentador para reorganizar a distribuição de energia para toda a cidade também serão executadas.


Publicidade
Publicidade