Sexta-feira, 24 de Setembro de 2021
acritica.com

Manifestantes exigem a anulação da Lei Delegada em Manaus

O vereador Bosco Saraiva(PSDB) afirma que a nova lei garante uma ecomia de 30 dias de discussão



1.jpg Manifestação na fachada da Câmara Municipal para anulação da Lei Delegada
11/01/2013 às 12:57

Manifestantes se reuniram em frente à Câmara Municipal de Manaus, na manhã desta sexta-feira(11), para pedir a anulação da Lei Delegada, solicitada pelo Prefeito Artur Neto e aprovada na última quarta-feira(09), pelos vereadores. A Lei Delegada permite ao executivo tomar decisões por decreto, sem  passar por votações e análises dos parlamentares.

Segundo a presidente da União Estadual dos Estudantes, Beatriz Calheiro, a nova lei é um ato de repúdio à Câmara Municipal, que deixa o poder de decisões de interesse dos amazonenses somente nas mãos do prefeito e os vereadores acabam abrindo mão das suas funções.



Professores, estudantes, União das Mulheres, entre outras entidades estão presentes na manifestação com o objetivo de impedir que a nova lei seja colocadao em prática. “ Apenas diante de catástrofes naturais e situações emergenciais é que a lei deveria ser concedida”, diz o grupo.

O presidente da Câmara Municipal de Manaus, vereador Bosco Saraiva(PSDB), disse que a  aprovação da concessão de Lei Delegada ao prefeito  “garante uma economia de 30 dias de discussão”, declaração que causou  revolta entre os estudantes ao lerem os jornais desta manhã de sexta(11).





Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.