Terça-feira, 25 de Junho de 2019
Tecnologia

Máquinas de cartão de crédito ou débito ganham destaque entre empreendedores

As máquinas de cartão de crédito e débito estão cada vez mais frequentes na rotina dos consumidores de Manaus. Empreendedores falam sobre benefícios da prática



Karla.jpeg A faxineira Karla Adriana Silva sabe que as maquininhas já estão no gosto da população. (Foto: Euzivaldo Queiroz)
21/07/2018 às 19:00

As máquinas de cartão de crédito e débito estão cada vez mais frequentes na rotina dos consumidores. Dados do Serviço de Proteção ao crédito mostram que 77%  da população brasileira prefere utilizar cartão de crédito na hora de efetivar o pagamento, um incentivo para micro e pequenos empresários começarem a adquirir a ferramenta comercial. Vendedores independentes, artesãos e até faxineiras já aderiram e contam como a escolha deu certo!

O representante comercial de uma marca de almofadas de personagens de desenhos animados, Jean Victor Nóbrega comenta o que melhorou após ter adquirido à máquina de cartão de crédito. “As vendas aumentaram, principalmente em feiras e bazares. O cliente tem mais flexibilidade na hora do pagamento”, diz.

Adaptação ao mercado

As maquininhas estão se tornando populares porque as pessoas buscam formas de economizar ao adquirir um bem ou usufruir de um serviço. A faxineira Karla Adriana Silva reconhece essa necessidade, e é por isso que ela já oferece a opção de pagamento.

“O mercado exige essa praticidade. As pessoas gostam de pagar no cartão. E quando você oferece isso, você ganha mais aceitação do público. Hoje tenho mais credibilidade. Eu não sou só uma faxineira ou diarista, eu sou também uma prestadora de serviços. E meus patrões adoram essa flexibilidade”, comenta.

Segundo a microempreendedora do ramo de cosméticos e produtos de beleza, Claudete Avarenga o uso das máquinas de cartão atende à demanda das clientes. 

“Após analisar o perfil das minhas clientes, notei que elas tinham a preferência de usar débito ou crédito. Para elas, o benefício é controlar as finanças. E para nós, empreendedores, é oferecer um diferencial ao nosso público”, destaca.


A microempreendedora Claudete Avarenga percebeu que suas clientes preferem pagar no cartão. (Foto: Euzivaldo Queiroz)

A empreendedora Lígia Russo trabalha com vendas pela internet. Ela administra o perfil @nqueromaisn em uma rede social, para vender roupas e acessórios que não usa mais. Russo comenta que deu um up nas vendas após adquirir a máquina de cartão de crédito/débito.

“A facilidade de usar cartão torna o brechó mais atrativo, pois,  minhas clientes não precisam ter o valor em mãos. Minha experiência até agora é muito positiva e compensa bastante oferecer alternativas de pagamento para os clientes”, conta.

Economia

Para o economista Rogério dos Anjos, as máquinas de cartão de crédito representam benefício para a economia. “O incentivo para a entrada desses equipamentos no mercado foi a segurança, para reduzir a circulação de dinheiro em espécie. Hoje, qualquer empresário adquire as máquinas a um custo pequeno”, diz.

Produção em massa

De acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), o mercado de  cartões movimenta mais de R$ 285 bilhões em transações e está entre os mais promissores do mundo. Os dados mostram ainda que deste total,  R$ 112 bilhões correspondem à modalidade débito, e R$ 173 bilhões ao crédito.

É exatamente no Polo Industrial de Manaus que está concentrada uma das principais potências deste segmento, a Transire Eletrônicos, fabricante das máquinas de cartão de crédito.

O CEO da empresa, Gilberto Novaes afirma que a  experiência dos executivos e convivência diária nas principais regiões do País ajudou a entender as dificuldades dos pequenos empreendedores e pessoas físicas. “Essa experiência permitiu que apostássemos numa proposta diferente do que era feito pelos nossos concorrentes estrangeiros que dominavam o mercado. E o mais importante, resolvemos investir no Brasil, em especial, no Amazonas”, destaca.

Atualmente, as máquinas de cartão de débito e crédito da Transire Eletrônicos são 100% produzidas na Zona Franca de Manaus e distribuídas para clientes e parceiros  em todo o País.

Em 2018, a Transire pretende impulsionar ainda mais a produção para atender às novas demandas do mercado. “Nosso principal objetivo é permitir que os brasileiros possam ter a possibilidade de ter sua própria máquina para realizar transações, evitando altos custos de locação de equipamentos”, conclui Novaes.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.