Publicidade
Cotidiano
Notícias

Medicamento fundamental para o tratamento da sífilis, Benzetacil está em falta no Amazonas

No ano passado, 678 pessoas foram diagnosticadas com sífilis no Amazonas. Em 2013 foram 976. As informações são da coordenadora estadual de DST/Aids e hepatites virais, Silvana Lima 26/06/2015 às 12:15
Show 1
De acordo com o Ministério da Saúde, a penicilina benzatina está em falta em todo o País. A droga é o principal antibiótico usado no tratamento da sífilis
Luana Carvalho Manaus (AM)

No momento em que o Amazonas registrou uma redução de 69% nos casos de sífilis ao longo dos últimos dois anos, o Estado agora está com estoque penicilina benzatina (Benzetacil) “na reserva”, o que ameaça o controle da doença.

A droga é o principal antibiótico utilizado no tratamento. Com o fracionamento, as gestantes estão recebendo tratamento prioritário. A “escassez” se repete em outros estados brasileiros.

No ano passado, 678 pessoas foram diagnosticadas com sífilis no Amazonas. Em 2013 foram 976. As informações são da coordenadora estadual de DST/Aids e hepatites virais, Silvana Lima. “Nós também estamos enfrentando essa baixa no estoque e estamos dando prioridade para tratar as gestantes”.

Para os demais casos estão sendo utilizados antibióticos alternativos. “Na ausência desta, existem outras drogas como a Doxiciclina, Ceftriaxona, mas cada uma com indicações individuais e só podem ser distribuídas com prescrição médica”.

A coordenadora do Fórum Amazonas de Organização da Sociedade Civil em DST, Aids e Hepatites virais, Evalcilene Santos, critica a escassez na oferta da medicamentos e teme que mais pacientes sejam prejudicados. “Estamos vivendo em um momento crítico para a saúde pública, principalmente para quem convive com doenças sexualmente transmissíveis, com a redução de medicamentos”.

A sífilis é uma doença infecciosa causada pela bactéria Treponema pallidum, podendo se manifestar em três estágios. Os maiores sintomas ocorrem nas duas primeiras fases, período em que a doença é mais contagiosa.

‘Contágio’

A sífilis pode ser transmitida de uma pessoa para outra durante o sexo sem camisinha com alguém infectado, por transfusão de sangue contaminado ou da mãe infectada para o bebê, durante a gestação ou o parto: a sífilis congênita.

De acordo com a Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), no ano passado, de 538 gestantes diagnosticadas com sífilis em todo o Estado, 138 crianças nasceram com a doença, sendo 116 em Manaus. Este ano, 267 gestantes amazonenses foram diagnosticadas e 86 recém-nascidos nasceram com sífilis congênita.

 Até junho deste ano, duas crianças já morreram com a doença. Durante todo o ano passado foram oito. O Ministério da Saúde deixa claro que, quando a sífilis é detectada, o tratamento deve ser iniciado o mais rápido possível.

“No caso das gestantes, é muito importante que o tratamento seja feito com a penicilina, pois é o único medicamento capaz de tratar a mãe e o bebê. Com qualquer outro remédio, o bebê não estará sendo tratado”.

 ‘Escassez mundial’

O Ministério da Saúde esclareceu que Penicilina Benzatina é um medicamento que faz parte do Componente Básico da Assistência Farmacêutica. “Foi identificado que há escassez mundial no suprimento de matéria-prima utilizada para a produção de penicilina. O Brasil finaliza o produto, mas a matéria-prima é importada. Alguns produtores mundiais passaram a não disponibilizar mais o produto, forçando a indústria brasileira a procurar novos fornecedores. Vale ressaltar que, quando há troca do fornecedor, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) tem que emitir nova certificação”, informou.

Ainda segundo o MS, o órgão repassa recurso para a compra, “mas cabe aos Estados, Distrito Federal e municípios a aquisição, seleção, armazenamento, controle de estoque e prazos de validade, além da distribuição e dispensação destes medicamentos”.

O órgão também informou que “vem monitorando a produção e o abastecimento nacional do medicamento penicilina benzatina desde o segundo semestre de 2014, quando começou a receber notificações sobre atraso na entrega”.

Estoque

A previsão, segundo o Ministério da Saúde, é de que para o próximo mês, haverá disponibilidade de 1,2 milhão de ampolas, número que supre a demanda nacional. O órgão informou que vai continuar o monitoramento  até que a situação esteja regularizada, e com a disponibilidade global do medicamento.

Em números

1216 foi o número de pessoas que  foram diagnosticadas com sífilis no Amazonas durante o ano passado, incluindo gestantes.   Em 2014, 138 crianças nasceram com a doença, sendo 116 em Manaus. Este ano, 267 gestantes amazonenses foram diagnosticadas.


Publicidade
Publicidade