Segunda-feira, 19 de Abril de 2021
Pedido de impeachment

Médicos e cientistas protocolam pedido de impeachment de Bolsonaro

Eles afirmam que o negacionismo do presidente em relação à pandemia é responsável por muitas mortes



50853192682_de52e9d8f8_k-1_14D0C004-93E2-4281-A22A-12AC88418383.jpg Foto: Reprodução / Internet
08/02/2021 às 09:42

Médicos e cientistas protocolaram um pedido de impeachment na Câmara contra o presidente Jair Bolsonaro por conta da condução dele em relação à pandemia no Brasil. De acordo com eles, o negacionismo do presidente em relação à doença tem custado inúmeras vidas em todo o País.

Os médicos e cientistas listaram uma série de declarações públicas e ações de Bolsonaro desde março de 2020, quando o coronavírus começou a se alastrar pelo país, até o dia 20 do mês passado.



Dentre as declarações citadas, está a frase "Não sou coveiro", que o presidente disse diante da subida do número de mortos. O pedido lembra também as declarações de Bolsonaro contra as medidas de isolamento social e as ocasiões em que o presidente minimizou os efeitos da doença.

Segundo os médicos e cientistas, o presidente "usou seus poderes legais e sua força política para desacreditar medidas sanitárias de eficácia comprovada e desorientar a população cuja saúde deveria proteger".

O pedido também afirma que o negacionismo de Bolsonaro tem custado vidas de brasileiros. "o Sr. Jair Messias Bolsonaro insistiu em arrastar a credibilidade da Presidência da República (e, consequentemente, do Brasil) a um precipício negacionista que implicou (e vem implicando) perda de vidas e prejuízos incomensuráveis, da saúde à economia", diz um trecho do documento.

Cabe ao presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), decidir se aceita ou não um pedido de impeachment. Já foram protocolados mais de 60 pedidos de impeachment contra Bolsonaro. Lira é aliado do presidente da República.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.