Terça-feira, 20 de Agosto de 2019
SAÚDE PÚBLICA

Medidas anunciadas: empréstimos e 40% de fundo serão aplicados na Saúde do AM

Os empréstimos serão realizados caso seja aprovado pela ALE-AM o uso de parte do Fundo de Fomento ao Turismo, Infraestrutura, Serviços e Interiorização do Amazonas (FTI)



WILSON_24E07550-FB43-4D01-99AA-86B020F56749.JPG Governador Wilson Lima durante coletiva de imprensa sobre as medidas. Foto: Divulgação
18/02/2019 às 18:52

Empréstimos bancários e o uso de 40% dos recursos do Fundo de Fomento ao Turismo, Infraestrutura, Serviços e Interiorização do Amazonas (FTI) são as medidas emergências estudadas pelo governo do estado para amenizar os problemas relacionados à área da saúde. O uso do FTI deve ser analisado pela Assembleia legislativa do Estado (Aleam) essa semana.

Nesta segunda-feira (18) em coletiva de imprensa, realizada na sede do governo, o governador Wilson Lima apresentou uma planilha de gastos e falou sobre o assunto. De acordo com ele, o governo está fazendo um esforço muito grande, junto com os parlamentares, com os órgãos de controle, com as empresas e cooperativas, para poder sanar dívidas da área de saúde e para que a população não fique desassistida.

“Uma das primeiras medidas é alteração da lei número 2000826/2003 que é o FTI. O projeto que estamos encaminhando para a Assembleia é que 40% do fundo seja utilizado para a saúde. Desse valor, 85% será para o pagamento de terceirização , de mão de obra na saúde, ou seja para o pagamento de salários e 15% do recurso, para aquisição de equipamentos  e materiais permanentes para a área da saúde no interior. O valor real que vai ser disponibilizado depende da arrecadação. A gente tem uma expectativa de que esses 40% representem em torno de R$ 350 milhões  de acordo com a projeção da arrecadação que estamos fazendo”, explicou.

No encontro, Wilson garantiu que o pagamento referente ao mês de dezembro, já foi pago para todas as empresas de recursos humanos que atuam nos hospitais e apresentou um cronograma de pagamento para sanar as demais dívidas. Disse ainda que além do recurso do FTI, caso seja aprovado na Assembleia, empréstimos bancários devem ser feitos. “Estamos também conversando com alguns bancos, nacionais e internacionais para conseguir operações de créditos. Vamos também abrir uma carta consulta para antecipação de royalties. Vamos trabalhar para que haja o crescimento real da receita administrativa e nos próximos 15 ou 20 dias, vamos lançar um plano de austeridade. A gente vai baixar um decreto e mostrar onde vamos começar a fazer esses cortes”, acrescentou.

A coletiva aconteceu na presença de alguns deputados, secretários e do presidente da Aleam Josué Neto. O deputado disse que está aguardando a chegada do documento na casa legislativa e a partir daí discutir isso com os demais parlamentares.

“Assim que chegar vamos conversar com quem faz  parte das comissões permanentes, como a área de saúde, serviços públicos e finanças, para  que a gente possa fazer a tramitação na forma com que a sociedade exige. Se o governo explicar que temos que tramitar no regime de urgência temos duas formas de fazer isso, ou  através de uma comissão especial ou com um pedido de tramitação com as comissões em conjunto. Caso não haja necessidade de urgência vai ser feito da forma comum, que são três sessões continuas em que possa tramitar nas demais comissões. Contudo, nós vamos fazer a tramitação o mais rápido possível, até porque a Assembleia está tratando esse assunto. É algo em que a Assembleia está tendo um diálogo com todo o sistema de saúde”, falou .

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.