Publicidade
Cotidiano
MEDO

Moradores de Iranduba (AM) temem enchente grande

População do Cacau-Pirêra está apreensiva com a subida das águas do rio Negro 18/03/2017 às 05:00
Show cacau5
Nível do rio Negro preocupa moradores do distrito de Cacau-Pirêra, em Iranduba, que temem uma grande cheia este ano (Fotos: Euzilvado Queiroz)
Silane Souza Iranduba

Muitos moradores do distrito de Cacau-Pirêra, no Município de Iranduba (a 27 quilômetros de Manaus), estão apreensivos com a possibilidade de a enchente deste ano ser uma das maiores dos últimos tempo. Na região, onde há várias pessoas morando  em áreas com risco de alagamentos, o nível do rio Negro sobe de maneira  acelerada e a água está bem acima dos níveis registrados nos anos anteriores, conforme os relatos da população. 

No bairro Cidade Nova, a água atingiu os esteios da casa da comerciante Ana Paula Barros, 43. Conforme ela, nos anos anteriores, por esta época, a água ainda estava distante da residência dela. “Está enchendo bem e muito rápido. Ainda estamos em março e a água já está debaixo de casa e olha que ainda tem mais três meses para encher. Tudo indica que vem uma grande cheia por ai”, avaliou a moradora. 

Ana Paulo construiu a casa de madeira bem alta justamente para que a água não atinja o assoalho. Porém, se houver uma grande enchente, locomover-ser pelo bairro não será uma tarefa fácil, uma vez que quase toda a área fica inundada. “O nosso meio de transporte é a canoa. Quem tem uma sai de casa, quem não tem fica ilhado. Para ir comprar alguma coisa só enfrentando a água ou pedindo carona de vizinho”. 

A dona de casa Denise Ferreira da Silva, 33, também moradora da Cidade Nova, não acredita numa grande enchente, mas está se preparando para uma por saber que as dificuldades que ela traz são inúmeras. “Eu espero que a cheia não seja grande porque é muito ruim para nós. Ficamos sem água encanada e é complicado sair de casa, principalmente para quem tem criança em casa”, pontuou. 

Na feira de Cacau-Pirêra, os feirantes acreditam que ao menos em relação à enchente do ano passado, a deste ano vai ser bem maior. Mas eles ainda não têm certeza se a cheia será nos níveis das recordes  de 2012 e 2009. “Pelo jeito a cheia vai ser grande. Estamos em março e a água está próxima da feira. Mas não sei se ela realmente vai ser histórica porque às vezes enche muito, mas depois para”, disse o feirante Raimundo Camilo, 33.

Nos demais

Em Manaus, o nível do rio Negro permanece em processo de cheia e com cotas elevadas para o período, está a 4,5 metros acima do registrado para mesma data de 2016 e 66 centímetros a menos do que o mesmo registrado em 2012, maior enchente da região.

No interior do Estado, a evolução do cenário de enchente deixou a região do Alto Solimões em situação de alerta e o Baixo Amazonas em situação de atenção. Os municípios que estão em situação de emergência, no rio Juruá, começaram a ser atendidos com a ajuda humanitária dos governos federal e estadual.

Publicidade
Publicidade