Publicidade
Cotidiano
EVASÃO

Amazonas registra este ano menos alunos matriculados que no mesmo período de 2014

No geral, o Brasil teve uma redução de 974.717 matrículas em 2015, em comparação com 2014. No ano de 2015 foram 38.682.720 matrículas 28/03/2016 às 20:53 - Atualizado em 29/03/2016 às 09:48
Show aula
Em 2015, o Amazonas tinha 1.048 milhão de alunos de 4 a 17 anos matriculados, 11 mil a menos que em 2014 (Arquivo/AC)
Isabelle Valois Manaus (AM)

O Amazonas tinha 1.048 milhão de alunos entre 4 e 17 anos matriculados nas escolas públicas e privadas da capital e do interior, no ano passado. Apesar de representar quase 100% da população nessa faixa etária, o número de matrículas registradas nesse período foi 1,08% menor que o de 2014, quando faziam parte das redes pública e particular de ensino 11 mil estudantes a mais do que em 2015. Os dados são do Censo Escolar 2015, divulgado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Os números são preliminares, mas apontam uma tendência de redução nas matrículas no Amazonas, que segue a variável da população, explica o disseminador de informação do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Adjalma Nogueira. “O número de matrículas caiu entre 2014 e 2015, mas a população também está caindo gradativamente, portanto, esse cenário é natural. O que também vem se tornando ‘natural’ nos últimos anos é outro cenário, mais preocupante: a oferta é cada vez menor que a demanda na rede pública”, alerta, tendo como base outras pesquisas realizadas pelo IBGE no Amazonas.

“Somos nós, o IBGE que vamos ao campo coletar dados, ir nas casas, conversar com as famílias e temos uma ideia da situação. Não é de hoje que falta vaga nas escolas para os alunos. Acredito que seja algo até natural, mas que precisa ser modificado”, reforçou.

O Censo Escolar é um levantamento estatístico da educação de âmbito nacional realizado todos os anos e coordenado pelo Inep, com base em dados das secretarias estaduais e municipais de educação e com a participação das escolas públicas e privadas do País.

Dados

Além da redução do número de matrículas no Estado, o Censo Escolar de 2015 mostrou que, naquele ano, no município de Manaus, também houve uma redução de 0,6 % nas matrículas em comparação com 2014, quando foram efetivadas 2.740  a mais. Segundo o Inep, enquanto no ano passado foram matriculados 443.261 estudantes, em 2014 foram 446.001.

Ainda de acordo com o Censo Escolar 2015, é no ensino fundamental que está a maior parte dos alunos matriculados nas escolas do Amazonas: foram 657.594 estudantes registrados nesse nível de ensino. Em seguida vem o ensino médio, com 175.275 matrículas efetivadas em 2015. Na pré-escola foram registradas 99.594 matrículas no ano passado, enquanto a Educação de Jovens e Adultos (EJA) matriculou 77.199 (62.001 no ensino fundamental e 15.198 no ensino médio) e, as creches, mais 17.631 alunos. 

No geral, o Brasil teve uma redução de 974.717 matrículas em 2015, em comparação com 2014. No ano de 2015 foram 38.682.720 matrículas, enquanto que, em 2014, 39.657.437 matrículas efetivadas, aproximadamente 2,4% a menos.

Mais matrícula que gente

Uma curiosidade do Censo Escolar é que o número de alunos de 4 a 17 anos matriculados nas escolas do Amazonas em 2014 superou a estimativa da população dessa mesma faixa etária apontada pelo IBGE. Enquanto o Censo divulgou o número de 1.048.601 matriculados no Estado no ano retrasado, o IBGE aponta que a população, nesse mesmo período, era de 1.012.000 pessoas, mas na faixa etária entre 5 e 17 anos. A divergência, explica Adjalma, pode ser justificada pelo fato de a contagem da população não incluir as crianças de 4 anos. “As crianças de 4 anos, no IBGE, entram em outra contagem, de 0 a 4 anos, e a inclusão desse índice na comparação poderia provocar uma distorção da análise”.

Maior déficit está na faixa etária de 4 e 5 anos, diz Seduc

A Secretaria Estadual de Educação (Seduc)  informou que  a queda de 1,08% na taxa de matrículas no Amazonas em 2015, apontada pelo último Censo Escolar, é reflexo da regularização do fluxo educacional no Estado,  que tem permitido que um número cada vez menor de estudantes fique “retido” na mesma série, sem alcançar a conclusão dos estudos. Com relação ao panorama de atendimento, a Gerência de Estudos e Estatística da Seduc informou que, no Amazonas, a faixa etária com a maior necessidade de inclusão é a de pessoas com 4 e 5 anos de idade, grupo que, conforme legislação vigente, é de competência das prefeituras. No Amazonas, menos da metade (49,1%) da população nesta faixa etária (4 e 5 anos) é atendida pelas redes municipais. A Seduc informou que, “embora não seja de competência do Governo do Estado”, para mobilizar as prefeituras municipais do Amazonas para a elaboração de políticas públicas para o ensino, o poder público estadual lançou em 2015, o “Pacto pela Educação do Amazonas”. Pelo pacto, as prefeituras se comprometem a destinar 25% dos recursos municipais à Educação e a definir estratégias para aumentar o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Em janeiro, o Ministério da Educação (MEC) lançou, em Manaus, o novo ciclo do Plano de Ações Articuladas (PAR) para a região Norte, que tem como meta beneficiar 80 mil alunos e colocar todas as crianças de 4 e 5 anos na escola até o fim do ano.

Escolas têm pouco mais de dois meses para enviar dados

As escolas têm entre os dias  25 de maio e 29 de julho para enviar, pelo Sistema Educacenso, via internet, os dados para o Censo Escolar da Educação Básica de 2016. De acordo com o cronograma, os dados preliminares serão enviados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) para a publicação no Diário Oficial da União no dia 31 de agosto. A partir da publicação, as escolas terão 30 dias para fazer, também pela internet, a conferência dos dados e, se necessário, correções. Os dados finais serão enviados para a publicação no Diário Oficial no dia 12 de dezembro. Os resultados finais serão divulgados no dia 31 de janeiro de 2017. Antes da coleta do novo Censo, os diretores devem informar, até o dia 1° de abril, a situação dos alunos matriculados no ano passado. Eles precisam  informar  se os alunos foram aprovados ou reprovados e se deixaram a escola por algum motivo. Os dados estarão disponíveis para conferência dos gestores estaduais e municipais de educação em 15 de abril, também na internet. No ano que vem, começa uma segunda etapa, na qual as escolas informam novamente os aprovados, reprovados e abandonos. O prazo para que isso seja feito vai de 1º de fevereiro a 17 de março de 2017. A divulgação será no dia 12 de maio de 2017.

 

Publicidade
Publicidade