Publicidade
Cotidiano
ECONOMIA

Mercado de engenharia de movimento cresce 28% acima do PIB no Amazonas

Hidroelétrica, estimada em R$ 26 bilhões, será a terceira maior do mundo e a maior totalmente brasileira 08/03/2017 às 11:24
Show dfgdfg
acritica.com

Na contramão da crise econômica, a empresa amazonense é referência nacional em engenharia de movimento, e registrou nos últimos 5 anos um crescimento de 28% acima do PIB brasileiro para o mesmo período, afirma a Diretora Executiva da Tomiasi, Jeany Oliveira.

Presente nas principais obras de infraestrutura da última década em toda a Região Norte, como as usinas hidroelétricas de Belo Monte (PA) e Santo Antônio (RO), Mineração Rio do Norte (PA), Gasoduto Coari-Manaus (AM), Ponte Rio Negro (AM), Arena da Amazônia (AM) e Linhão de Tucuruí (AM/PA) – a empresa Tomiasi Logística Pesada atua nas megaoperações de transporte de cargas especiais para o Polo Industrial de Manaus (PIM) e em diversas obras locais.

Dentre as grandes movimentações de carga realizadas pela empresa, temos como exemplo o transporte de um motor de 320 toneladas da empresa Voith Hydro da Amazônia realizado em dezembro passado, em uma operação que envolveu mais de 100 pessoas entre profissionais da Tomiasi, policiais, viaturas da Polícia Militar e batedores de trânsito, na movimentação da fábrica - na Zona Leste de Manaus - até o Terminal Portuário Chibatão - na Zona Sul. Este motor foi embarcado para a Usina de Belo Monte, na Bacia do Rio Xingu (PA). A hidroelétrica, estimada em R$ 26 bilhões, será a terceira maior do mundo e a maior totalmente brasileira.

“Foram necessárias 24 horas de trabalho ininterrupto e coordenado. Somos a única empresa do Norte do País capaz de realizar esse tipo de movimentação, e graças ao sucesso e planejamento afinado, outros três projetos para transporte de grandes cargas já foram contratados para os próximos meses”, avaliou o Diretor Executivo do Grupo Chibatão, Jhony Fidelis.  

A empresa integrante da Divisão de Guindaste do Grupo Chibatão, projeta para este ano expansão para novos mercados, investimentos em novos equipamentos com tecnologia de ponta e a abertura de novos postos de trabalho em diversos segmentos ainda no primeiro semestre. 

“Investimos pesado nos melhores equipamentos logísticos do mundo nos últimos anos, e também na formação e qualificação de profissionais altamente especializados. Juntamente com o planejamento desenvolvido, estamos tendo retorno acima do esperado, mesmo em um período economicamente instável como o atual”, avalia o Diretor Presidente do Grupo Chibatão, Jean Bergson.

A Tomiasi faz parte de um dos maiores complexos portuários privados da América Latina – o Grupo Chibatão, hoje com 2 milhões de metros quadrados, atuando em todos os segmentos da cadeia logística. Sua sede é em Manaus (AM) e opera em filiais em Belém (PA) e Porto Velho (RO).

*Com informações da assessoria de comunicação.

Publicidade
Publicidade