Publicidade
Cotidiano
Notícias

Metade da bancada amazonense na Câmara Federal não utilizou o ‘Cotão’ para pagar refeições

Dos mais de 540 parlamentares que atuaram na Casa no primeiro ano da atual legislatura, apenas 123 optaram não pediram reembolso de alimentação 18/02/2016 às 11:48
Show 1
A Câmara gastou R$ 1,87 mi com as refeições de deputados que pediram o ressarcimento em 2015
ACRITICA.COM ---

Quatro dos oito membros da bancada do Amazonas na Câmara Federal não bancaram suas refeições no ano passado com a Cota para o exercício da atividade parlamentar (Ceap). A informação foi divulgada nesta quarta-feira (17) pelo Congresso em Foco.

Levantamento feito pelo site mostra que a Câmara gastou R$ 1,87 milhão com as refeições de deputados que pediram o ressarcimento de despesas com café da manhã, almoço, lanche e jantar, entre fevereiro e dezembro de 2015.

Dos mais de 540 parlamentares que atuaram na Casa no primeiro ano da atual legislatura, apenas 123 optaram por não apresentar pedido de reembolso de seus gastos com alimentação.

Da lista fazem parte os deputados Átila Lins (PSD), Alfredo Nascimento (PR), Marcos Rotta (PMDB) e Silas Câmara (PSD). A bancada federal amazonense é composta também pelos deputados Hissa Abrahão (PPS), Conceição Sampaio (PP), Pauderney Avelino (DEM) e Arthur Bisneto (PSDB).

A verba

Criada em 2009 a partir da fusão do beneficio das passagens aéreas e da verba indenizatória, a Ceap dá a cada deputado o direito a receber de R$ 30.788,66 a R$ 45.612,53, por mês, conforme o Estado de origem, para custear gastos  atribuídos ao mandato.

Despesas com  transporte, hospedagem, divulgação da atividade parlamentar, consultoria, combustíveis e alimentação, podem ser ressarcidos, com a apresentação de nota fiscal. No caso das refeições, o parlamentar pode comer em qualquer restaurante, de qualquer cidade, inclusive do exterior.

A Câmara de Deputados, ressalta matéria do Congresso em Foco, não é rigorosa na análise da prestação de contas. Limita-se a verificar apenas a regularidade fiscal e contábil dos documentos.

Os usos

Dentre os 123 deputados que preferiram não usar a cota para cobrir despesas com alimentação, um deles, o deputado Izalci (PSDB-DF), disse ao Congresso em Foco que não se sente confortável em utilizar a verba para este fim pelo fato de morar em Brasília. “Eu posso almoçar em casa”, comentou.

Ricardo Barros (PP-PR) disse que, apesar de considerar legítimo o uso pelos seus colegas, decidiu não pedir ressarcimento por esse tipo de despesa.

Carlos Zarattini (PT-SP) diz preferir investir na própria imagem enquanto parlamentar destinando uma boa fatia para a divulgação de sua atividade no Legislativo. No ano passado, foram pouco mais de R$ 50 mil para divulgar o seu mandato. Não pediu reembolso por alimentação.

Publicidade
Publicidade