Domingo, 08 de Dezembro de 2019
Notícias

Ministério da Saúde planeja distribuir repelentes para grávidas até fevereiro

Ainda não há previsão para início da distribuição. Objetivo é tentar conter os casos de microcefalia associados ao vírus Zika, transmitido pelo mosquito Aedes



1.gif Além do vírus Zika, o mosquito também transmite dengue e febre chikungunya

O governo brasileiro ainda não tem uma previsão para dar início à distribuição de repelentes para grávidas, na tentativa de conter os casos de microcefalia associados ao vírus Zika. A expectativa é que a iniciativa comece até fevereiro.

"Ainda não temos estimativa, mas todo esforço vai ser feito para que nós comecemos a distribuir [os repelentes] antes do período em que costuma haver a ascensão da curva de infestação do Aedes aegypti", disse o diretor do Departamento de Vigilância de Doenças Transmissíveis do ministério, Cláudio Maierovitch.



Durante coletiva de imprensa, Maierovitch explicou que este é o período em que o Aedes aegypti, mosquito transmissor da doença, atinge seu pico de proliferação. Além do vírus Zika, o mosquito também transmite dengue e febre chikungunya.

Maierovitch disse ainda que fabricantes de repelentes e representantes do ministério devem se reunir amanhã (15) para tratar de temas como a possibilidade de atender a demanda no país e o prazo para que isso aconteça.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.