Quarta-feira, 13 de Novembro de 2019
POSICIONAMENTO

Ministério Público é contra a construção de presídio federal em Iranduba, no AM

Órgão afirma que decisão deve ser resultado de "ampla discussão envolvendo órgãos de justiça, segurança e a sociedade civil amazonense"



preso.jpg Nota do MPE sustenta que decisão não se apresenta oportuna visto que não há investimento prévio na segurança (Foto: Arquivo/AC)
23/08/2017 às 15:38

O Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM) emitiu, nesta terça-feira, 22 de agosto, Nota Oficial em que se posiciona contra a construção de um presídio federal em Iranduba, após veiculadas notícias sobre o tema pelos meios de comunicação no estado.

O documento é assinado pelo Procurador-Geral de Justiça Carlos Fábio Braga Monteiro, o Coordenador do Grupo de Enfrentamento da Crise do Sistema Prisional (Gecsp), José Roque Nunes Marques e a Promotora de Justiça de Iranduba, por substituição  legal, Carla Santos Guedes.



Na nota, o MP-AM argumenta que a decisão sobre a construção de um presídio federal no município de Iranduba, a 22 quilômetros de Manaus, deve ser resultado de uma ampla discussão envolvendo os órgãos de justiça, segurança e a sociedade civil amazonense, com avaliação prévia dos impactos na segurança pública, no meio ambiente e nas atividades sociais e econômicas.

O órgão ministerial também alerta sobre a necessidade de se construir novos presídios, sob a administração estadual, com regime disciplinar diferenciado, para atender a população carcerária local e reduzir o déficit de vagas atualmente existente, porém, não se apresenta oportuna a decisão de construir um presídio federal sem prévio investimento no aparelho de segurança pública estadual, em especial, na área de inteligência, na modernização da gestão dos presídios e no fortalecimento da segurança na fronteira.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.