Segunda-feira, 22 de Julho de 2019
IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA

MPC-AM pede que TCE apure contratação de médicos sem registros em Eirunepé

Segundo denúncia do Conselho Regional de Medicina do Estado do Amazonas (CREMAM), três pessoas exercem ilegalmente a Medicina no hospital da rede pública de saúde no município



medicooooo.jpg Foto: Reprodução/Internet
08/02/2018 às 18:42

O Ministério Público de Contas do Amazonas (MPC-AM) ingressou com uma representação junto ao Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM) contra o prefeito de Eirunepé, Raylan Barroso de Alencar (PROS), em razão de graves indícios de improbidade administrativa. O motivo é a contratação de médicos sem registros no Conselho Regional de Medicina do Estado do Amazonas (CREMAM) para atuar no Hospital Regional Vinícius Conrado, no município que fica a 1.159 km de Manaus.

Segundo denúncia encaminhada pelo CREMAM ao MPC-AM, três pessoas lotadas no Hospital da sede pública de saúde exercem ilegalmente a medicina porque não são registrados no Conselho.

“A situação merece atenção deste Tribunal de Contas em face dos indícios de improbidade administrativa na contratação de médicos cujo nível de tecnicidade não foi suficientemente comprovado pelos órgãos técnicos competentes”, afirma o MPC-AM na representação.

“Além disso, importante ressaltar que o pagamento desses servidores é ilegal, como consequência da sua investidura também maculada pela ilegalidade, posto o não preenchimento dos requisitos legais para exercício da medicina, regulados pelo Conselho Federal de Medicina com apoio dos Conselhos Regionais”, complementa.

*Com informações da assessoria de imprensa

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.