Publicidade
Cotidiano
Notícias

Mirando nas eleições de 2016, Rede Sustentabilidade busca reatar laços com o PSB

Após a frustração de ver Marcelo Ramos fechar com outra sigla, dirigentes da Rede tentam se reaproximar dos socialistas 25/08/2015 às 15:28
Show 1
Sem conseguir o registro no TSE, membros da Rede Sustentabilidade se filiaram ao PSB para disputar as eleições de 2014
Janaína Andrade Manaus (AM)

Frustrada a tentativa de trazer Marcelo Ramos (sem partido) para seus quadros, a Rede Sustentabilidade busca se reaproximar do PSB, partido liderado pelo deputado estadual Serafim Correa, hoje rompido politicamente com Ramos.

O encontro entre PSB e a Rede Sustentabilidade, partido da ex-senadora Marina Silva, que está em fase de registro no TSE, de acordo com informações de bastidores já tem data marcada: a próxima quinta-feira, 27.

“Será uma conversa fraterna para reaproximação. Vamos dizer que tem 80% de chances da aliança entre a Rede e o PSB se restabelecer”, diz uma fonte próxima às siglas.

Membro da Executiva Nacional da Rede Sustentabilidade, Tacius Fernandes, não confirmou o encontro. Mas não hesita em elogiar o PSB e a parceria de 2014.

“Temos conversas respeitosas com o PSB - partido que somos gratos por abrigar à Rede na eleição de 2014. Muitos dos nossos filiados continuam lá. PSB-Rede levaram as eleições do governo para o 2° turno - através da candidatura do Marcelo Ramos e Junior Brasil. Na espera nacional, Marina e outros companheiros continuam filiados ao PSB até a criação da Rede”, disse Tacius.

O presidente de honra do PSB, Serafim Correa, confirma o encontro. “Ficamos de almoçar com o Junior Brasil (coordenador executivo da Rede no Amazonas), mas não é nada formal. Conversar a gente conversa. O Junior é uma figura proeminente da Rede, mas como já disse, conversar a gente conversa sempre. Aliás eu converso com ele todos os domingos porque frequentamos a mesma igreja. Então, não há nenhuma dificuldade em conversar com ele”, declarou Serafim.

No mesmo dia agendado para o encontro, haverá uma reunião da Executiva Nacional do PSB em Brasília. Segundo Serafim, a agenda nacional pode adiar o encontro com o membro da Rede. “Provavelmente eu terei que remarcar, pois terei que estar lá (em Brasília), será uma reunião para discutir a posição do PSB diante da crise”, adiantou o deputado.

Para Tacius, o PSB, assim como a Rede, tem responsabilidade com a terceira via em Manaus. “E hoje o que se vê e o que se tem em Manaus é uma briga entre o Artur (Neto) e o (Eduardo) Braga”, criticou.

Segundo Tacius, o esforço da Rede tem sido com a formação de seus filiados. “Pontos como Estatuto, sustentabilidade e Direitos Humanos já têm sido discutido com pessoas que estão e querem entrar na Rede. O filiado precisa saber que tipo de política estaremos querendo fazer - a nova política foge completamente do convencional”, disse Tacius.

A reaproximação entre Rede Sustentabilidade e PSB, que após o término das eleições 2014 seguiram rumos opostos, ocorre uma semana após Marcelo Ramos ter anunciado que iria se filiar ao PRB e em seguida publicar nota informando a desistência da filiação.

Marcelo Ramos não exterminou apenas a aliança com o PRB, fechou as portas com a Rede também. “Estamos nos preparando para construir uma renovação independente dele”, avisou Tacius.

Espera

O partido Rede Sustentabilidade da ex-senadora Marina Silva comprovou a validade de 498.317 assinaturas de apoio à sua oficialização pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mas o processo de julgamento do registro da sigla segue “parado” no Ministério Público Federal (MPF).

Três perguntas para Marcelo Ramos

Ex-deputado Estadual

1 - O que deu errado com o PRB?

O PRB tem uma relação antiga com o grupo do senador Eduardo Braga e a minha condição para ir para o PRB era o rompimento dessa relação. Não tendo o PRB disposição de romper com esse projeto, não me cabe nada nesse projeto.

2 - Sempre soube dessa aliança?

Eu sabia, mas eles sinalizaram várias vezes disposição de romper com ele para construir um projeto alternativo e aí não sei que forças e que instrumentos o ministro usou para que isso não acontecesse.

3 - O que pretende fazer agora?

Vamos esperar. Só volto a falar quando estiver filiado com outro partido.

4 - O sr. acha que frustrou as expectativas da Rede?

Não. A minha relação com a Marina Silva e com os principais dirigentes da Rede é a mesma – fraterna e com diálogo – essa decisão de me filiar ao PRB foi conversada com eles. Agora, é como eu tenho dito: não posso mais esperar e a Rede não existe ainda.

Publicidade
Publicidade