Publicidade
Cotidiano
BR 319

Moradores de ramal na BR-174 reclamam de interdição de via

Moradores lamentam a interdição em obra de melhoria de ramal que dá acesso à comunidade e que é usado para escoar produtos 17/10/2016 às 05:00
Show ramal
Moradores e produtores rurais sofrem com interdição de ramal
Náferson Cruz Manaus (AM)

As péssimas condições do ramal do quilômetro 15 na BR-174, que liga Manaus a Presidente Figueiredo, têm dificultado a locomoção dos moradores da Comunidade Cueiras do Tarumã-Açu, Zona Rural. Se não bastasse, recentemente, o  ramal, essencial à garantia para escoamento de produtos e que passava por melhorias, sofreu interdição por parte do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), segundo o presidente da Cooperativa dos Produtores da Comunidade, Jarkeley Pereira.

Ele explica que na notificação emitida pelo Ipaam, a interdição do ramal associada a multa de R$ 50 mil, se deu em razão da constatação de supostos desmatamentos em determinados trechos do ramal, que possui extensão de 8 km com acesso à comunidade. Porém, o presidente da cooperativa, contesta o posicionamento do Ipaam. Ele alega que não houve crime e muito menos dano ambiental ao longo da extensão da estrada. “Devido a falta de apoio do poder público, todas as vezes nesta época de cada ano, melhoramos o acesso à comunidade e agora, mas para complicar ainda mais nossa situação de forma errônea resolveram nos punir, interditando o trabalho”.    

 Jarkeley diz que em decorrência da paralisação dos serviços de melhorias na estrada, os produtores ficaram de “mãos atadas” e perderam parte de suas produções. “O agricultor é quem produz todo o alimento e estamos abandonados pelo poder público. É muito atoleiro. E não vemos  ninguém se manifestar para fazer alguma coisa por nós e quando fazemos por conta própria acontece isso. Não temos como escoar a produção”, reclama.

Distância

O produtor rural conta que os moradores tem que  andar mais de 2 horas a pé para poder chegar onde tem asfalto por conta das péssimas condições da estrada. “A nossa produção também se perde toda, é tomate, pimentão e cheiro verde, estragados”, lamentou.

Sem Resposta

A equipe de reportagem tentou contato com o Ipaam, mas até o fechamento desta edição não houve resposta da instituição a respeito da suposta notificação e interdição dos serviços de melhorias do Ramal do 15,  iniciativa dos próprios moradores e agricultores da comunidade Cueiras do Tarumã-Açu.

Publicidade
Publicidade