Publicidade
Cotidiano
"Praça de guerra"

Moradores do Campos Sales reclamam de buracos, violência e falta de água

Há ruas como a Bagdá, por exemplo, que parecem ter sido bombardeadas tamanho as áreas esburacadas e lama existentes nela, causando a impaciência de motoristas e transeuntes do local 01/11/2016 às 05:00 - Atualizado em 01/11/2016 às 12:02
Show campossales1
Crianças e mulheres passam, com dificuldade, todos os dias na caótica rua São Pedro, no Campos Sales / Fotos: Euzivaldo Queiroz
Paulo André Nunes Manaus (AM)

O bairro Campos Sales, na Zona Norte, se assemelha, atualmente, a uma “praça de guerra”, com buracos, esgotos entupidos e problemas como falta de água e a criminalidade. Há ruas como a Bagdá que parecem ter sido bombardeadas tamanho as áreas esburacadas e lama existentes nela, causando a impaciência de motoristas e transeuntes do local.

Um deles é o mototaxista José Lucena, que diariamente utiliza a rua para trabalhar. Ele disse que está cada vez mais difícil passar por ela. “Aqui na Bagdá está um verdadeiro caos. O pessoal nunca arruma. A Águas do Amazonas (hoje denominada Manaus Ambiental) cava, deixa buracos e fica tudo jogado e ninguém faz nada. Todos os meses eles arrebentam aí, cavam e nunca tapam, ficando esse atoleiro aí. Não temos a mínima condição de trafegar por aqui”, disse o mototaxista, citando o asfaltamento que não é feito, segundo ele, de forma apropriada. “O asfalto nunca prestou. Toda vez desce a água e leva tudo, eles tapam os buracos e não adianta nada. Corremos riscos todos os dias”, comentou ele.

Na rua B da mesma localidade, a dirigente religiosa Alzita Machado Dias, 59, também reclama da qualidade do asfaltamento. “O asfalto só chegou aqui no bairro há dois anos. Eles tapam um buraco aqui, mas depois outro abre de novo. O asfaltamento é mal feito. É gasto de material. Nossos esgotos estão entupidos também. Além disso falta água”, denuncia ela.

“Nossos esgotos estão entupidos, as nossas ruas esburacadas, não temos calçadas”, clama o almoxarife José Pacheco Batista, 52.

Inconformada com a situação das constantes interrupções de água no bairro, a moradora Cyntia Pinheiro de Castro, 44, que reside na rua A, está elaborando um abaixo-assinado para levar à Agência Reguladora dos Serviços Públicos Concedidos do Estado do Amazonas (Arsam). “Nossa falta de água é constante aqui. Nesses dias deu até uma equilibrada, mas nós passamos até 5 dias sem nada do líquido. E eu que trabalho com plantas vou à loucura. E quando temos água ela só chega de madrugada, entre 1h e 2h, e quando é no máximo 7h, 8h, ela vai embora. Isso é o normal. Não é normal temos o dia todo na torneira, apesar de pagarmos regularmente”, disse ela, que gastou R$ 600 para comprar dois canos de aço galvanizado visando facilitar o escoamento de água represada em frente à sua casa.

A moradora também está incornformada, também, com os assaltos no bairro: ela já foi assaltada 3 vezes. E a igreja católica de Santa Paulina duas vezes só neste mês. “A segurança aqui está nota zero”, brada ela, que está na coordenação de uma rifa a ser realizada pela paróquia no próximo dia 6 visando arrecadar recursos para a igreja.

Outro lado Seminf

Por meio de sua assessoria de comunicação, a Secretaria Municipal de Infraestrutra (Seminf) informa que está atuando há 40 dias no bairro Campos Salles com serviços de infraestrutura. “As ruas citadas já estão na programação de serviços básicos. A rua B, já recebe melhorias. Na rua Bagdá a Seminf  irá trabalhar após a concessionária de água concluir o serviço de um antigo vazamento no fim da via”, garante o órgão.

Em relação aos bueiros sem tampas e gradis, no último dia 27 a Seminf se comprometeu, junto ao Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM), por meio do Termo de Compromisso de Ajustamento de nº 004.2016.63.1.1.1139133. 2016.13959, a apresentar o projeto de execução para a vedação dos bueiros, indicados no levantamento técnico, com o respectivo cronograma de obras, no prazo de 30 dias. “Após a entrega do projeto, os serviços serão executados, priorizando os bueiros com maior probabilidade de risco de acidente. Vale ressaltar que esta secretaria, visando solucionar de maneira definitiva essa demanda no intuito de promover a segurança de toda população, já concluiu o processo licitatório para a contratação imediata de duas empresas especializadas em confecção e fornecimento de tampas de bueiros”, destaca a secretaria.

Outro lado Manaus Ambiental

A reportagem relatou os problemas de interrupções de água para a concessionária Manaus Ambiental que, por meio de sua assessoria de comunicação, informou que está realizando várias ações de manutenção para melhorias no abastecimento do bairro Campo Sales, A concessionária destaca que, além da manutenção que será realizada nesta terça-feira no reservatório do Tarumã, Campos Sales, está na programação de ações percorrer várias ruas do bairro, para intervenções em possíveis vazamentos e manutenção geral da rede.

"A concessionária de água reforça a importância do registro das ocorrências de vazamento, falta de água ou qualquer outro serviço que necessite atuação da empresa, nos canais oficiais de relacionamento com o cliente.Os canais de comunicação da Manaus Ambiental estão disponíveis 24h por dia, para denúncias e informações. SAC: 0800 092 0195SAC (Outras localidades): (92) 3627-8360 e e-mail: faleconosco@manausambiental.com.br", informa a assessoria.

Publicidade
Publicidade