Publicidade
Cotidiano
Notícias

Moradores do Igarapé do 40 prometem nova interdição na Avenida Silves na quinta-feira (11)

Pelo segundo dia consecutivo, moradores interditaram Avenida Silves em protesto sobre o pagamento do auxílio aluguel, que faz parte do SOS Enchente 10/06/2015 às 19:38
Show 1
Policiais militares foram acionados para negociar a liberação da Avenida Silves
Alexandre Pequeno Manaus (AM)

Moradores do Igarapé do Quarenta, bairro Raiz, Zona Sul da capital, prometem um novo protesto nesta quinta-feira (11) caso nenhum órgão público entre em contato para solucionar os problemas relacionados ao pagamento do auxílio aluguel. Eles moram em uma área afetada pela subida das águas.

Na tarde desta quarta-feira (10), moradores interditaram via pelo segundo dia consecutivo. Com uma barragem de móveis e madeiras, eles cobram agilidade no pagamento do benefício que faz parte do programa SOS Enchente.

“Aqui a gente tá reivindicando que alguém dos órgãos públicos olhe por nós, estamos jogados às baratas, aos ratos, cobras jacarés. Ontem a polícia de choque veio, queimou a barriga de um garotinho. Hoje a Defesa Civil foi lá e disseram que não tem nem a previsão de quando vai sair o nosso dinheiro”, afirma Jeferson Leandro, 32, um dos líderes do protesto.

A moradora Tatiana Castro, 28, conta sobre os problemas causados pelo contato com o igarapé. “Nós estamos convivendo com os ratos, com os bichos, nossos filhos doentes e até agora prometeram e não cumpriram. Ontem nós fizemos (o protesto), e hoje nós estamos fazendo de novo, porque nada foi solucionado pra gente”, protesta.

(O corpo de bombeiros fez o trabalho nas chamas provocadas pelos moradores. FOTO: Evandro Seixas)

Segundo o supervisor Cruz, do Manaustrans, eles monitoram a área desde as 15h, porém somente às 17h os moradores interditaram a via com a barragem. Sobre o trânsito, ele conta que não houve grande retenção, somente uma pequena fila de carros que aguardava a liberação para seguir rumo a um condomínio próximo. Outras ruas próximas serviram como desvio.

O tenente Rodrigues da 3ª CICOM, conta que a polícia chegou no local por volta das 17h, após serem acionados pelo indício do protesto. Eles contataram um dos líderes denominado Raimundo Nonato para negociar a liberação da via e a contenção das chamas provocadas pelos moradores. No local, a Força Tática fazia o auxílio, juntamente com o Corpo de Bombeiros e o ManausTrans. Após discussão entre os moradores e policiais, a via foi completamente liberada por volta das 17h45.

Segundo a assessoria da Secretaria da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos de Manaus (Semasdh), atualmente mais de 2.500 famílias já foram cadastradas no SOS Enchente, em toda Manaus, e até a próxima sexta-feira (12), e sobre o caso, será divulgado o calendário de pagamento do auxílio moradia, um dos benefícios do programa SOS ENCHENTE.

Publicidade
Publicidade