Publicidade
Cotidiano
Notícias

Moradores do São José são ignorados na ALE-AM

Objetivo dos moradores era cobrar um posicionamento sobre a administração de um complexo esportivo no bairro 17/03/2015 às 21:46
Show 1
Mesmo ocupando as galerias com faixas e cartazes, moradores foram solenemente ignorados pelos parlamentares durante a sessão de ontem e tiveram que se retirar sem qualquer resposta
Janaína Andrade Manaus (AM)

A Casa Legislativa que custa R$ 250,1 milhões por ano ao bolso do contribuinte amazonense, ontem, se fez de surda e muda aos apelos de 140 moradores de um dos maiores redutos eleitorais de Manaus, o bairro de São José, na Zona Leste da cidade.

No início da manhã, moradores do bairro São José dividiram a galeria da Assembleia Legislativa do Estado (ALE-AM). De um lado, membros da Associação de Moradores e Amigos do Bairro São José 1, em maior número, e do outro lado, membros da Liga Esportiva do bairro, em menor número. Ambos com o mesmo objetivo: conquistar a administração do Complexo Esportivo Paulo Roberto Souto.

De acordo com a presidente da Associação de Moradores do São José, Marluce Perdigao, 56, a ida  de apoiadores da Associação à ALE foi motivada após o deputado Sinésio Campos (PT) subir à tribuna na quinta-feira passada (12) e sustentar que o Complexo Esportivo do São José foi “tomado de assalto” por ela.

“A verdade é que o secretário Elvis Damasceno (Semjel) nos chamou no dia 2 de fevereiro e nos pediu para administrarmos por seis meses o Complexo. Nós não invadimos, não “tomamos de assalto” como o deputado Sinésio disse. Temos a procuração do secretário da Semjel. E queremos hoje (ontem) aqui o direito de resposta, pois me admira uma pessoa que tem seis mandatos, é professor, subir a uma tribuna e denegrir a imagem de cidadãos de bem”, falou a presidente da Associação.

Marluce afirma que, em uma semana de administração, o Complexo já recebeu uma série de transformações. “Eu e um grupo de mais 20 moradores do bairro  que capinamos, trocamos a iluminação, limpamos banheiros, e em nenhum momento ninguém da Liga Esportiva do São José pegou numa enxada para capinar, e o deputado Sinésio quer que o rapaz da Liga Esportiva (Erivan Garcia) do bairro administre sozinho o Complexo. Por isso ele está fazendo e falando essas inverdades”, contou.

Do outro lado da galeria, cerca de 30 membros da Liga Esportiva do São José, argumentaram que no último final de semana houve eleição para a escolha da nova direção da Liga, historicamente, segundo eles, responsável pela administração do Complexo Esportivo Paulo Roberto Souto. Os escolhidos na eleição do final de semana, foram: Erivan Garcia (presidente) e Vicente Prata (vice-presidente). Ambos não compareceram ontem ao manifesto.

Apesar da ausência dos principais interessados em assumir a gerência do Complexo Esportivo , um dos membros da Liga Esportiva, Flávio Araújo, 30, empresário, se manifestou.  “Ela (Marluce) diz que a parceria entre a Associação de Moradores e a Liga Esportiva pode ser feita, mas com uma condição: tudo que for feito pela Liga vai ter que passar pelo aval dela. E isso nós não aceitamos”, informou Flávio.

Deixo nas mãos do prefeito de Manaus, diz Sinésio

Visto com maus olhos por membros da Associação de Moradores e Amigos do Bairro São José após ter dito, da tribuna, na quinta-feira passada, que a presidente da Associação, Marluce Perdigão, “tomou de assalto” o Complexo Esportivo Paulo Roberto Souto, o deputado Sinésio Campos (PT) disse, ontem, que se reuniu com o prefeito Artur Neto (PSDB) na segunda-feira para discutir o impasse.

“Na verdade,  estava eu e o Bi Garcia (deputado pelo PSDB), e o prefeito designou um “embaixador”, que será o Bi Garcia, para dialogar com o secretário Elvis Damasceno (Semjel). Deixo nas mãos do prefeito”, disse Sinésio. Questionado o porquê do prefeito não tratar diretamente com o secretário, seu subordinado, sobre a decisão de conceder a administração do Complexo Esportivo para a Associação de Moradores do São José, Sinésio disse não saber o motivo da decisão.

Semjel

O secretário municipal de Juventude, Esporte e Lazer (Semjel), Elvis Damasceno, é apontado por moradores do bairro São José como responsável por repassar a administração do Complexo Esportivo Paulo Roberto Souto por seis meses para a Associação de Moradores do bairro. A reportagem tentou entrar em contato com Damasceno através da assessoria de comunicação da pasta, mas não foi atendida.

Publicidade
Publicidade