Publicidade
Cotidiano
Notícias

Morre, em São Paulo, ex-primeira dama do Amazonas Tarcila Prado de Negreiros Mendes

Esposa de Amazonino Mendes deixa três filhos e um legado de lutas. A pedido da família, ela será cremada em São Paulo e as cinzas chegam a Manaus em cinco dias, quando também deve ser realizada uma cerimônia religiosa 10/09/2015 às 10:52
Show 1
Família queria que Tarcila voltasse para se tratar em Manaus
Acritica.com ---

A ex-primeira dama do Amazonas Tarcila Prado de Negreiros Mendes morreu nesta quarta-feira (9), aos 74 anos, no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, onde estava internada. Meses antes, ela chegou a ser hospitalizada por conta de um acidente vascular cerebral (AVC), mas teve alta. Ela teve complicações no fígado, voltou ao hospital e não resistiu. A Prefeitura de Manaus decretou luto oficial de três dias e, a pedido da família, ela será cremada em São Paulo.

De família tradicional de Maués, interior do Amazonas, Tarcila foi casada com o ex-governador Amazonino Mendes, com quem teve três filhos. Formada em direito, ela exercia a advocacia e por muitos anos foi juíza do Trabalho. Nos anos 60, ela foi líder estudantil. No fim da década de 80, foi superintendente da Legião Brasileira de Assistência.

Em publicação numa rede social, Lívia Mendes, filha de Tarcila, pediu oração de todos os amigos com a seguinte mensagem: "Minha mãe amada, minha maior riqueza, meu exemplo de ser humano. Gentil, inteligente, bondosa, linda da cabeça aos pés e de dentro pra fora, original e digna. Mãe nenhuma seria pra mim igual fostes pra nós. Mamãe, adeus, Deus quis assim. Orai por ela meus amigos".

Tarcila Mendes será enterrada em Manaus

Por meio de nota, o prefeito Artur Neto (PSDB) também manifestou pesar. "Em meu nome, de minha família e do povo de Manaus, manifesto profundo pesar pelo falecimento da senhora Tarcila Prado Negreiros Mendes, esposa do ex-governador Amazonino Mendes, com quem teve três filhos. A ex-primeira-dama, que foi líder estudantil das mais valorosas no período duro da transição da democracia para o regime autoritário, entre 1963 e 1964, sempre foi mulher de mérito reconhecido por todos os que com ela conviveram", ressaltou.

"Envio aos seus familiares, a começar pelo ex-governador e por seus três filhos, o mais fraterno sentimento de pesar. (...) A pedido da família, ela será cremada em São Paulo e as cinzas só chegam a Manaus em cinco dias, quando também deve ser realizada uma cerimônia religiosa. Maués, sua terra natal, Manaus, que ela adotou, e o Amazonas a que tanto serviu estão enlutados. Fica decretado luto oficial de três dias, por esta inestimável perda", finalizou Artur.

O senador Omar Aziz (PSD) homenageou a advogada na tribuna do Senado. "A doutora Tarcila, desde de a sua juventude, sempre prestou grandes serviços ao povo amazonense e brasileiro. Ela foi líder estudantil, presidente da União dos Estudantes Secundaristas em plena ditadura militar. Por onde passou, ela foi uma pessoa que deixa um legado grande, como mulher, como avó, como mãe e um exemplo para muitas mulheres amazonenses. Ela era uma pessoa discreta, firme e que contribuiu muito com o Amazonas a frente da Legião Brasileira de Assistênca, quando o Amazonino foi governador pela primeira vez, e na assistência, como ela trabalhou a vida toda", disse.

"É uma perda muito grande. Quero deixar meus sentimentos a pessoa do Amazonino. Aos filhos da doutora Tarcila, o Armando, a Cristina e a Lívia Sei que nesse momento eles estão sentindo uma dor muito grande, mas eles tem que ser orgulhar da grande mulher que foi a doutora Tarcila Prado Negreiros Mendes", completou Omar, em entrevista ao Portal A Crítica, por telefone.

O ministro das Minas e Energia, Eduardo Braga (PMDB), em sua página no Facebook, também se manifestou. "Dona Tarcila sempre primou pela discrição, mas foi responsável por belíssimas ações sociais que beneficiaram milhares de amazonenses", escreveu.

O deputado Serafim Correa (PSB), que conhecia Tarcila há cinco décadas, lamentou se falecimento da ex-primeira dama e lembrou do passado. “Eu a conhecia há 50 anos. Fui contemporâneo dela quando ela era presidente da União dos Estudantes Secundaristas do Amazonas (UESA) e, desde a juventude, ela era uma pessoa muito combativa, estudiosa e dedicada. Lamento profundamente o falecimento dela”, declarou. O deputado informou que um dos irmãos dela, Clóvis Prado de Negreiros Filho, faleceu há dois dias durante uma cirurgia.

“Ele (Clóvis) era diabético e faleceu na segunda-feira, era de Rio Branco. Por conta da doença ele foi fazer uma cirurgia no joelho, mas houve uma complicação que levou ao seu falecimento”, explicou.

Publicidade
Publicidade