Quinta-feira, 18 de Julho de 2019
INFECÇÃO

Morre Mãe Stella de Oxóssi, referência do candomblé no país

Em comunicado, o hospital informa que a ialorixá teve sepse urinária, insuficiência renal crônica e hipertensão arterial sistêmica, falecendo às 16h



MAESTELLA_2ABEC685-911F-4373-B488-476D90B539F8.jpg
27/12/2018 às 20:52

Morreu hoje (27), aos 93 anos, a ialorixá baiana Mãe Stella de Oxóssi, considerada uma das referências do candomblé no país. Ela estava internada desde o início do mês no Hospital Incar, em Santo Antônio de Jesus (BA), por causa de uma infecção. 

Em comunicado, o hospital informa que a ialorixá teve sepse urinária, insuficiência renal crônica e hipertensão arterial sistêmica, falecendo às 16h.

Nascida em 2 de maio de 1925, em Salvador, Maria Stella de Azevedo Santos, Mãe Stella de Oxóssi, Odé Kayode, era a quinta ialorixá do terreiro Ilê Axé Opô Afonjá, um dos mais tradicionais da Bahia. Foi levada a um terreiro e conheceu o candomblé por meio de uma tia quando era adolescente. Trabalhou como enfermeira ajudando principalmente os mais pobres. Escreveu vários livros, entre eles Meu tempo é agora, Òsósi – O Caçador de Alegrias, Epé Laiyé- terra viva e Ófun, sendo uma das primeiras mulheres a escrever sobre candomblé no país. 

Defensora da cultura negra, foi agraciada com diversos títulos, como o de Doutor Honoris Causa da Universidade Federal da Bahia (2005) e da Universidade do Estado da Bahia (2009). Em 2013, foi eleita para a Academia de Letras da Bahia, onde tomou posse da cadeira número 33 – já havia sido ocupada pelos escritores Castro Alves e Ubiratan Castro de Araújo.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.