Publicidade
Cotidiano
ATAQUE

Morre vigia que ateou fogo em crianças em MG; morte de professora é negada

Damião Soares, 50, trabalhava como vigia na creche onde cometeu o crime. A professora dada como morta continua viva 05/10/2017 às 18:39
Show show criancas janauba 1
Foto: Arquivo A Crítica
Agência Brasil Brasília (DF)

O vigia Damião Soares dos Santos, de 50 anos, que ateou fogo e provocou a morte de quatro crianças na creche onde trabalhava, no município de Janaúba, no norte de Minas Gerais, morreu na tarde de hoje (5) no hospital onde estava internado em estado grave. Damião era funcionário efetivo do município desde 2008.

Uma professora também atingida pelas chamas, que havia sido dada como morta, continua viva, conforme atualização divulgada pelas autoridades locais. A professora sofreu diversas paradas cardíacas e continua internada em estado grave. Ao todo, vinte pessoas, entre crianças e adultos, ficaram feridas.

A prefeitura de Janaúna decretou luto oficial de sete dias. “Toda a administração e a sociedade civil de Janaúba está consternada em virtude da tragédia ocorrida hoje na Creche do Bairro Rio Novo. A administração municipal manifesta profunda preocupação com o lamentável episódio e direcionou todos os seus esforços para atender os envolvidos e amenizar, de alguma forma, a dor que acomete a todos”, diz nota da prefeitura.

Quatro crianças e uma professora morreram queimadas, na manhã desta quinta-feira (5), em uma creche na cidade de Janaúba, no norte de Minas Gerais. Segundo autoridades policiais e a prefeitura, o incêndio foi provocado por um segurança da Creche Municipal Educacional Infantil Gente Inocente, que fica no bairro Rio Novo. Mais de 15 pessoas, entre crianças e adultos, ficaram feridas.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o incêndio aconteceu por volta das 9h40 de hoje (5). O vigia jogou álcool nas crianças e nele mesmo e depois ateou fogo em todos. As vítimas foram encaminhadas a hospitais locais. Equipes de bombeiros que estavam de folga foram escaladas devido à gravidade do caso. Nas redes sociais, a população pediu a doação de luvas, agulhas, seringas, pomadas, cateteres e remédios.

Publicidade
Publicidade