Publicidade
Cotidiano
Notícias

MPE veta saída de Francisco Cruz para comandar a Seai

Procurador-Geral não poderia assumir a função até o fim do mandato eletivo que ocupa à frente do órgão, que só termina em outubro 26/09/2014 às 14:14
Show 1
Francisco Cruz responde pela chefia do MPE até o dia 14 de outubro
ACRITICA.COM Manaus (AM)

O Conselho Superior do Ministério Público do Amazonas  (MPE) não acolheu, nesta sexta-feira (26), o pedido do governador José Melo para que o procurador-geral, Francisco Cruz, assumisse o comando da Secretaria de Estado de Inteligência (Seai).

O argumento da instituição é que não podem permitir o afastamento de quem detém mandato eletivo. Francisco Cruz ocupa o cargo, cujo mandato é bienal, desde o ano passado, e só poderia ser liberado a partir de 14 de outubro próximo. Este é o segundo mandato de Cruz à frente do órgão.

Francisco das Chagas Santiago Cruz é funcionário de carreira do MPE, do qual também integra o Conselho Superior. Ele já foi procurador-geral adjunto na instituição e exerceu os cargos de secretário executivo na Sejus e coordenador do sistema penitenciário estadual. Seu período à frente do MPE teve como ato mais marcante o pedido de prisão do prefeito de Coari, Adail Pinheiro, acusado de exploração sexual de menores e malversação de recursos públicos, no início desse ano.

A Seai está sem títular desde a exoneração de Thomaz Vasconcelos, no último dia 17. O secretário ocupava a pasta há oito anos, desde a gestão do ex-governador Eduardo Braga. O aumento nos índices de criminalidade, expresso principalmente nos assaltos ousados cometidos nas últimas semanas, como o roubo a uma agência do banco Itaú, na Compensa, no dia 15, que teve o uso de ônibus e carros de luxo pelos criminosos, provocou a irritação do governador José Melo. Atualmente quem está à frente da Seai interinamente é a delegada Tâmara Maciel.

Publicidade
Publicidade