Domingo, 19 de Maio de 2019
INTERNACIONAL

Justiça condena três pessoas por tráfico internacional de drogas no AM

Os homens presos em 2018 com quase 230 quilos de cocaína e mais de 300 munições de uso restrito foram condenados a penas que variam de 18 a 26 anos de prisão em regime fechado



agora_mpf_2_D5E7D81F-E6C4-4071-8952-77A43E9CD1AA.JPG
Foto: Arquivo AC
10/05/2019 às 11:12

Três homens identificados como Nelson Ozório Curicó, Wilmer Quintero Echeverri e Juan Pablo Alvarez Ahuari, foram condenados por tráfico internacional de drogas, associação para o tráfico e porte ilegal de arma de fogo. A ação foi apresentada pelo Ministério Público Federal (MPF) no Amazonas à Justiça e resultou em penas que variam de 18 a 26 de prisão.

Os réus foram presos em setembro de 2018, próximo a cidade de Codajás (a 240 quilômetros de Manaus) a bordo de uma embarcação em que transportavam 229 quilos de cocaína e mais de 300 munições de uso restrito, além de R$ 33,3 mil em dinheiro.

Segundo a denúncia, no momento da abordagem policial. Os três homens ainda portavam duas armas de fogo, as quais jogaram no rio. Na embarcação estavam também dois adolescentes que foram encaminhados à Delegacia de Apuração de Atos Infracionais (DEAAI) em Manaus.

De acordo com depoimentos, os três homens e os adolescentes iniciaram o transporte da droga em Santa Rosa, cidade peruana localizada na tríplice fronteira entre Brasil, Peru e Colômbia e tinham como destino a cidade de Manacapuru, região metropolitana de Manaus, o que segundo a Justiça, comprova a internacionalidade do crime. Os crimes de tráfico de entorpecentes e de associação para o tráfico estão previstos nos artigos 33 e 35 da Lei de Drogas (Lei n° 11.343/2006).

Como os adolescentes que acompanhavam o trio eram familiares próximos de Nelson Ozório e foram convidados por ele para a viagem, o mesmo teve sua condenação agravada pela participação de menores no transporte de drogas, causa de aumento prevista no artigo 40 da Lei de Drogas. Ozório também foi condenado por uso de documento falso, já que no momento de sua prisão o mesmo usava documento de identidade falso em nome de terceiro.

Somadas as penas definitivas, Nelson Ozório foi condenado a 26 anos e um mês de prisão. Já Wilmer Quintero e Juan Pablo foram condenados, cada um, a 18 anos e quatro meses de reclusão, todos em regime inicial de cumprimento fechado. Por conta do alto risco de fuga e para garantia da ordem pública, a Justiça manteve a prisão preventiva dos réus.

A ação penal tramita na 4ª Vara Federal do Amazonas, sob o número 0018462-13.2018.4.01.3200, e cabe recurso da sentença

*Com informações de assessoria de imprensa

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.