Publicidade
Cotidiano
Notícias

Mudança que corrigiu taxas de juros para financiamento de imóveis já está valendo

O aumento da taxa de juros para os financiamentos com fundos de poupança ou FGTS começou a valer a partir desta segunda-feira (19) 20/01/2015 às 11:15
Show 1
Financiamentos do Programa Minha Casa Minha Vida não serão afetados
Jornal A Crítica ---

As pessoas interessadas em fazer o financiamento da casa própria junto à Caixa Econômica federal já estão pagando juros mais altos. A mudança que corrigiu as taxas de juros das operações para financiamento de imóveis residenciais contratadas com recursos da poupança (SBPE) começou a valer ainda ontem.

Em nota, a Caixa lembrou que as taxas de juros dos financiamentos habitacionais contratados com recursos do Programa Minha Casa Minha Vida e do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) não sofreram qualquer correção em suas taxas.

A entidade financeira ressaltou também que as novas condições passam a valer apenas para créditos habitacionais concedidos a partir da data mencionada. “As pessoas que já tinham assinado o contrato anteriormente não serão impactadas pelo reajuste

Ainda conforme a instituição, a alteração se deve ao aumento das taxas de juros básicos (Selic) que teria pressionado os valores praticados na aquisição baseada nos fundos de poupança.

O Reajuste De acordo com a Caixa, a taxa de juros cobrada pelo Sistema de Financiamento Habitacional (SFH), que financia imóveis de até R$ 750 mil com recursos tanto do FGTS como da poupança, permanece em 9,15% para quem não é cliente do banco e sofre alteração para quem é cliente, incluindo servidores públicos.

Já pelo Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI), que financia imóveis com valor acima de R$ 750 mil, a taxa de juros anual passará de 9,2% para 11% para não-clientes.

Entrega da Rais é válida até março

Todas as empresas com Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ), empregadores, mesmo os autônomos ou rurais, condomínios e sociedades terão até dois meses para enviar a Relação Anual de Informações Sociais (Rais) para o Ministério do Trabalho e Emprego. O prazo para envio é até o dia 20 de março, e o formulário deve conter todas as informações sobre valores pagos aos empregados como indenizações e salários. A Rais é um senso de mercado de trabalho e até as empresas que não possuem empregados cadastrados no INSS são obrigadas a entregar o documento, sob pena de multa de R$425,64, com acréscimo de R$106,40 por bimestre de atraso. A entrega final deve ser feita pelo site www.rais.gov.br ou portal.mte.gov.br/rais.

Publicidade
Publicidade