Publicidade
Cotidiano
Notícias

Mulher morre após ser atropelada por veículo de vereador em Presidente Figueiredo (AM)

Caso ocorreu no último domingo (31), na rodovia AM-240. Mãe e filha da vítima também saíram feridas e criança segue internada. Vítima era fiscal de meio ambiente e veio a óbito após seis dias internada no HPS João Lúcio 06/06/2015 às 12:38
Show 1
Fiscal morreu nesta sexta após ser atropelada por veículo em Presidente Figueiredo
OSWALDO NETO Manaus (AM)

A fiscal de meio ambiente Clemência Assunção da Silva, de 31 anos, morreu na noite desta sexta-feira (5) após cinco dias internada, vítima de um atropelamento em Presidente Figueiredo (município a 107 quilômetros de Manaus). O suspeito de cometer o acidente é o vereador de Presidente Figueiredo Jonas Castro (PSB), que segundo familiares da vítima, dirigia o veículo quando atingiu a mulher. O incidente ainda deixou a mãe e a filha da vítima feridas.

O acidente ocorreu no dia 31 de maio na rodovia AM-240, estrada que dá acesso a Balbina, distrito de Presidente Figueiredo. Lá, segundo familiares, Clemência possuía um sítio. De acordo com a irmã da vítima, Chayenne França, o caso aconteceu por volta das 19h.

“Ela estava saindo de uma igreja e elas pararam no gramado em frente ao sítio. Foi quando o carro veio e atropelou elas. O marido da Clemência foi buscar o resgate em Presidente Figueiredo porque a filha deles estava com a mão esmagada”, disse Chayenne.

Clemência saiu do acidente em coma e morreu nesta sexta-feira após uma parada cardíaca. A mãe idosa, Ivanísia Assunção da Silva, e a filha de apenas 4 anos ficaram feridas. O trio foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e trazido para Manaus, onde ficaram internadas no Hospital e Pronto Socorro Dr. João Lúcio e no Hospital Joãozinho, na Zona Leste.

Nesse período, segundo a família, Ivanísia recebeu alta médica mas a criança continua internada. Chayenne afirma, ainda, que a criança corre o risco de perder os dedos da mão direita. O corpo de Clemência foi trazido ao Instituto Médico Legal (IML). Segundo a família, a fiscal deve ser enterrada no domingo (7).

Suspeito é vereador

Apontado como causador do acidente é vereador de Presidente Figueiredo (Divulgação: Câmara Municipal)

O suspeito de dirigir o veículo, de modelo Ford Ranger e placas JXU-0763, é integrante da Câmara Municipal de Presidente Figueiredo: o vereador Jonas Castro, do Partido Socialista Brasileiro. Chayenne conta que o político acompanhou os procedimentos médicos no local do acidente.

“Na hora ele ficou lá prestando socorro, mas não falou nada. Depois ele foi à delegacia mas lá não fizeram nenhum exame de bafômetro nele. Achei um absurdo”, disse Chayenne. A reportagem tentou contato com o vereador por meio da Câmara Municipal do município, mas ele não foi localizado.

O presidente estadual do PSB, Marcelo Serafim, informou que desconhecia o caso. Segundo ele, o partido irá acompanhar a apuração do caso. “Ninguém está livre de causar um acidente de trânsito. De qualquer forma vamos esperar o que a Justiça vai dizer e qual tipo de ação o Ministério Público vai propor”, informou. 

Investigações

De acordo com o delegado do 37º Distrito Integrado de Polícia (DIP), Valdinei Silva, após o acidente o vereador assinou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO). Com a morte da vítima, ele garante que um inquérito será aberto até semana que vem.

“O procedimento foi instaurado como lesão corporal culposa. Estávamos aguardando a mudança no quadro de saúde da vítima. Isso já está sendo feito e o inquérito deve ser nomeado como homicídio culposo e vamos abrir até segunda-feira. Ele vai ser responsabilizado pela conduta”, explicou.

Ainda segundo o delegado, as investigações para apurar se o vereador estava embriagado continuam. “Algumas pessoas disseram que ele estava embriagado. Sobre isso, precisamos ouvir mais pessoas para confirmar”. O titular também confirmou que o vereador não realizou o teste de bafômetro para medir o grau de alcoolemia no sangue. “Não fizemos exame porque os investigadores não perceberam de imediato que ele tinha ingerido bebida alcoólica. Ele não aparentava estar embriagado”, disse Valdinei.

Publicidade
Publicidade