Publicidade
Cotidiano
CRIANÇAS

Mulheres amazonenses criam movimento contra exploração sexual infantil

O grupo foi criado no ano passado após casos de exploração de crianças ocasionarem grande repercussão na cidade 02/02/2017 às 16:12
Show movimento o grito dos inocentes
Foto: Divulgação
Amanda Guimarães Manaus (AM)

Ser porta voz das crianças. É o desejo de pelo menos trinta mulheres amazonenses que fazem parte do Movimento do Grito dos Inocentes. O grupo foi criado no ano passado após casos de exploração de crianças ocasionarem grande repercussão em Manaus. Um deles foi o do bebê de 1 ano e 4 meses que teve seu corpo e órgãos genitais mordidos pelo padastro.

Depois do fato, o trabalho realizado da equipe começou a se desenvolver pela cidade em escolas, praças, barcos e igrejas. “Depois do que aconteceu com o bebê. As nossas atividades, que são palestras e atividades de conscientização sobre exploração de crianças começaram. Não tinha mais como ficar calado, precisamos usar os espaços para defender as crianças”, comentou uma das líderes do movimento, Pedrinha Lasmar.  

Outro caso envolvendo crianças, que ocasionou repúdio do grupo, foi a decisão tomada pelo judiciário em extinguir a pena de Adail Pinheiro, condenado a 10 anos e 11 meses de prisão pelo crime de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes, por não se tratar de crime de “grave ameaça”.

“Entregamos uma nota de repúdio sobre o caso do Adail Pinheiro, pois entendemos que a decisão se trata de uma jogada política. Estamos vivendo uma época de total inversão de valores. As nossas próximas atividades serão acompanhar os casos envolvendo as crianças de Manaus. Ver se os culpados estão presos. Esse tipo de coisa”, ressaltou Lasmar.

O movimento é formado por mulheres de diferentes profissões. Uma das integrantes é a corretora de imóveis e funcionária da secretaria de infância e adolescência da União Geral dos Trabalhadores do Amazonas (UGT), Rossana Rocha, que destacou sobre a importância de ajudar as crianças.

“Fazemos atividades dentro das igrejas, pois acreditamos que lá também existem pessoas ruins. Realizamos vista grossa, porque existem pessoas que possuem hábitos complicados. Muitos apenas se preocupam com os animais, mas o dono dos animais, que são as crianças, precisam de atenção”, disse Rossana.

Os interessados em participar do Movimento do Grito dos Inocentes podem entrar em contato pelo número (92) 99319-9123.

 

Publicidade
Publicidade