Publicidade
Cotidiano
Notícias

‘Mulheres não têm ‘aptidão mental’ para correr na Fórmula-1’, afirma ex-piloto

O ex-piloto Stirling Moss nunca foi campeão mundial, mas colecionou quatro vices em sua trajetória. Ele também é conhecido por suas declarações polêmicas 15/04/2013 às 11:16
Show 1
O britânico Stirling Moss, para muitos, é considerado o melhor piloto de F-1 da história
acritica.com ---

O inglês Stirling Moss causou polêmica nesta segunda-feira (15), após declarar sua opinião sobre a capacidade das mulheres de pilotarem um carro de Fórmula-1.

O ex-piloto de 83 anos disse, em entrevista à rádio BBC que as pilotos não têm “aptidão mental” para disputarem uma prova da principal categoria do automobilismo.

‘Acredito que elas tenham a força, mas não sei se elas tem a aptidão mental para guiar de forma dura, roda a roda’, disparou Moss.

Stirling Moss nunca foi campeão mundial, mas colecionou quatro vices em 11 anos de Fórmula-1. Ele, que é considerado por muitos o melhor piloto da história, conquistou 16 vitórias entre 1951 e 1961.

‘Penso que seria muito difícil para uma moça lidar com o estresse mental de uma forma prática. Eu apenas não acredito que elas tenham aptidão para ganhar uma corrida de F-1’, completou o ex-piloto.

Apenas cinco mulheres tentaram correr no Mundial de Fórmula-1 desde a sua criação em 1950. O principal nome entre as pilotos do mundo hoje é a americana Danica Patrick, que corre na Indy e já venceu uma prova. Na F-1, Susie Wolf é piloto reserva da Williams e tenta realizar o sonho de correr em uma prova.

Mulheres na F-1

A última mulher que tentou brilhar nas pistas da F-1 foi a italiana Giovanna Amati, em 1992, mas ela não conseguiu colocar o seu carro no grid, mesmo depois de três tentativas. A mulher que mais vezes correu na categoria foi a também italiana Lella Lombardi, que disputou 12 provas na década de 70.

O chefe da F-1, Bernie Ecclstone, discordou da declaração do ex-piloto. Ele não vê obstáculos em uma mulher participar do Mundial.

‘Não existe razão pela qual uma mulher não deva ser capaz de competir com um homem’, afirmou Bernie.

‘Gostaria que o ator que me interpretasse fosse masculino, não uma “bicha” ou algo do gênero. Seria difícil para alguém que é homossexual ser persuasivo nesse papel, porque eu passei a minha vida dirigindo carros e correndo atrás de mulheres’, alfinetou o ex-piloto, que acabou pedindo desculpas e disse que não teve a intenção de ofender ninguém, muito menos as mulheres.

Publicidade
Publicidade