Terça-feira, 23 de Julho de 2019
Notícias

Multas até 10 vezes mais caras começam a valer neste sábado (1º)

A ideia, segundo o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), é assustar mesmo: espera-se que o valor das multas faça o brasileiro andar na linha



1.jpg Detran-AM registra mais de 1.800 infrações por mês em estradas estaduais e operações especiais como a Lei Seca
31/10/2014 às 21:54

Com a entrada em vigor da Lei 12.971/2014 neste sábado (1º), várias multas ficaram mais caras, algumas até 10 vezes mais. A ideia, segundo o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), é assustar mesmo: espera-se que o valor das multas, que chega a quase R$ 4 mil para motoristas reincidentes em infrações gravíssimas, faça o brasileiro andar na linha.

Com as alterações no Código de Trânsito Brasileiro (CTB) previstas pela lei, uma infração como ultrapassar pelo acostamento, que antes podia custar ao condutor R$ 127,69 agora custará R$ 957,70. Rachas e manobras perigosas, por sua vez, que tinham multas de apenas R$ 574,62 e R$ 191,14, respectivamente, passam a ser punidas com o pagamento de R$ 1.915,40.

Espera-se que isso diminua os números de infrações que, no Amazonas, somam mais de 1.800 por mês, segundo Leonel Feitoza, diretor-presidente do Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM). Esse número nem chega a incluir a maior parte das infrações registradas em perímetro urbano, que são da competência do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans). "Somos responsáveis pelos registros de multa nas rodovias estaduais e em operações especiais, como a Lei Seca. Só as relativas à Lei Seca somam 300, em média, cada mês. Também registramos as multas de licenciamento, que chegam a 1200 por mês", comentou.

Ele se preocupa com outros crimes sub jurisdição do Detran, como os rachas. "Semana passada, multamos 40 jovens em uma só noite por praticarem isso. É preocupante pois as pessoas envolvidas geralmente são muito novas e ele costuma envolver os fatores mais perigosos em termos de trânsito: álcool, imprudência e excesso de velocidade. Junte pelo menos dois desses três e você terá uma tragédia", explicou Leonel

Para o presidente do Detran-AM, o aumento no valor das multas pode ajudar no combate a essas infrações. "As pessoas que estão no trânsito hoje não respeitam a lei e, como o valor das multas era muito pequeno, elas abusavam. Mesmo com o aumento, eu ainda acho que é pouco, porque num ato de imprudência, você pode acabar com uma vida, e uma vida não tem preço", declarou.

Leonel, no entanto, deixou claro que preferia que não fosse dessa forma. "Há esse ditado popular que eu acho muito chulo, mas que acho que se aplica, que é 'a parte que mais dói é o bolso'. Eu não entendo isso, pessoalmente. Se existe uma lei, não importa se a multa é R$ 1 ou R$ 10 mil, eu tenho que cumprir, mas as pessoas não pensam assim".


Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.