Publicidade
Cotidiano
Religiosidade

Cerca de 30 mil pessoas acompanharam Círio de Nazaré em Manaus

Fé, devoção, gratidão e sacrifício deram o ‘tom’ na tradicional procissão do Círio de Manaus, ontem de manhã 10/10/2016 às 10:01
Silane Souza Manaus (AM)

Foram quase 2h30 de caminhada pelas ruas da Zona Sul e Centro-Sul da capital, mas o advogado Nilson Santos, 64, não largou nem por um momento a corda que puxava a berlinda de Nossa Senhora de Nazaré, durante o Círio de Manaus, realizado ontem. Há 25 anos ele é o primeiro da fila que carrega um dos ícones do Círio: faz isso para pagar uma promessa que fez à Santa num período difícil de sua vida. 

“Há 25 anos eu e minha família sofremos um acidente de carro na avenida Djalma Batista. Ficamos todos com sequelas. Prometi a Nossa Senhora de Nazaré que se eu, minha esposa e minha filha sobrevivêssemos e ficássemos bem de saúde eu participaria todos os anos, pelo resto da minha vida, do Círio. A Santa atendeu minha prece e desde lá todos os anos eu participo do Círio, pagando minha promessa na corda”, contou.

O aposentado Raimundo Nonato Mendes da Silva, 71, é outro que, no Círio, literalmente “não larga mão” de ir puxando a berlinda de Nossa Senhora de Nazaré. Para ele, esse momento é de agradecimento à Santa pelas graças alcançadas. “Eu sempre venho agradecer e pedir saúde e paz para a minha família. Desde criança meus pais me traziam para a procissão do Círio e eu não quero perder isso. Meu desejo é participar do Círio em Belém”, revelou.

Há cinco anos, o personal trainer Vinícius Barbosa da Silva, 25, participa do Círio para pedir saúde para o filho de quatro anos e união para a família. Ele conta que realizou o sonho de ir ao Círio em Belém, mas como o evento atrai muita gente, é difícil segurar na corda. Ao contrário de Manaus. “Aqui não há tantas dificuldades para segurar a corda e é segurando nela que eu peço a intercessão de nossa Senhora pela minha família”, afirmou.

As aposentadas Augusta Marques Maciel, 75, e Sidinéia Maciel Gomes, 66,  - tia e sobrinha - há dez anos acompanham a imagem da Virgem de Nazaré tanto no translado para o Santuário de Fátima quanto no seu retorno à paróquia de Nazaré. “Enquanto a gente tiver força nas pernas não deixaremos de participar da procissão do Círio. Pedimos a nossa Senhora saúde, paz e emprego para os nossos filhos e netos”, disse Augusta. 

A procissão do Círio de Nazaré em Manaus durou quase 2h30. Os devotos saíram por volta de 7h30 de ontem do Santuário de Fátima, na Praça 14 de Janeiro, Zona Sul, e chegaram quase 10h na paróquia de Nazaré, no bairro Adrianópolis, Zona Centro-Sul, onde foi realizada uma missa em homenagem à Santa padroeira dos paraenses. Em torno de 30 mil fiés participaram do evento, conforme o Centro Integrado de Comando e Controle (CICC).

Percurso

Assim como acontece em Belém, um carro levou a berlinda de Nossa Senhora de Nazaré pelas ruas da cidade. Em Manaus, a berlinda da Virgem de Nazaré foi puxada ao longo da procissão por uma corda de aproximadamente 200 metros de comprimento, passando pelas avenidas Tarumã, Duque de Caixas, Umberto Calderaro, Natal e Mário Ypiranga Monteiro.

Interdições momentâneas

O Círio de Manaus deste ano trouxe o tema: “Que Maria nunca se canse de volver para nós os seus olhos misericordiosos”,  e o lema: “Maria, Mãe da Misericórdia, ensina-nos a sermos misericordiosos”. O andamento da romaria foi assegurado por agentes de trânsito, que fizeram interdições momentâneas em vias  incluídas no roteiro da procissão.

Números

30 mil fiés participaram da procissão do Círio de Nossa Senhora de Nazaré, em Manaus, conforme estimativa do Centro Integrado de Comando e Controle (CICC).

Blog: Padre Paulo Prashanth - da paróquia de N. S. de Nazaré

"Esse momento (procissão do Círio) é onde demonstramos nossa fé e honra pela nossa mãe, mãe de Jesus, porque a fé surgiu com ela. Todos os dias nós compreendemos, com a nossa família, que a mãe dá a vida pelos filhos, todos os filhos precisam honrar e respeitar essas mães, aquelas que dão a vida por nós. Deus também escolheu uma mulher simples para dar a vida a seu filho para que o mundo o respeitasse. Ela se tornou misericordiosa, assim como nosso pai é misericordioso. Também devemos respeitar todas as mulheres. Através de Jesus respeitamos a sua mãe. Então, viemos aqui para mostrar nossa fé em Jesus e na Virgem Maria porque, se tiramos Maria de nossas vidas, é como se nossas mães perdessem importância”.

Em Belém do Pará, padroeira leva milhões para as ruas

Em Belém do Pará, uma multidão tomou as ruas ontem, no  terceiro dia de procissões da 224ª edição do Círio de Nazaré, que festeja a padroeira dos paraenses. 

Considerado o maior evento católico do País e a maior procissão do mundo, este ano ele reuniu aproximadamente 2 milhões de pessoas e teve como tema “Salve Rainha, Mãe de Misericórdia”.

O “ponto alto” da festa aconteceu ontem, com a procissão, que começou às 6h30, após a missa realizada em frente à Catedral da Sé. De lá, a imagem da santa percorreu os quase 3,6 mil quilômetros  até a Praça Santuário de Nazaré arrastando uma multidão de fiéis.

De acordo com a Secretaria de Estado de Turismo do Pará, a festividade de Nazaré, o evento reuniu 2 milhões de pessoas e aproximadamente 80 mil visitantes foram para o Estado para acompanhar os festejos, que, assim como em Manaus, começaram na sexta-feira com o traslado da Imagem Peregrina para Ananindeua.

No sábado, as ruas da capital paraense já foram tomadas por devotos da santa durante a “moto romaria”, onde milhares de fiéis percorrem as principais vias da cidade com motocicletas e bicicletas. Ainda no sábado, aconteceu a romaria fluvial na orla de Belém.

As celebrações seguem até o Recírio, no dia 24 de outubro.

Publicidade
Publicidade