Publicidade
Cotidiano
Pesquisa

Municípios amazonenses poderão ter aumento de até 5°C na temperatura

Os resultados de estudo inédito sobre municípios vulneráveis à mudança do clima, no Amazonas, foram divulgados em coletiva de imprensa nesta sexta-feira (14) 14/09/2016 às 17:00
Show estudo
A coletiva contou com representantes de diversos órgãos públicos, entre os quais do Ministério do Meio Ambiente e da Fiocruz (Foto: Aguilar Abecassi)
Silane Souza Manaus (AM)

Os municípios amazonenses poderão ter aumento de até 5°C na temperatura, de acordo com projeções apontadas no estudo inédito para a região Norte do País, divulgado nesta quarta-feira (14), em Manaus. A pesquisa avaliou a vulnerabilidade à mudança do clima nos 62 municípios do Amazonas e foi realizada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em parceria com o Ministério do Meio Ambiente (MMA).

Conforme o estudo, as projeções de temperatura para o período de 2041-2070 mostram que toda a região Nordeste do Estado (incluindo a Região Metropolitana de Manaus) e da calha do rio Purus (Lábrea, Pauini e Boca do Acre) serão as que poderão apresentar as maiores variações na temperatura futura, com incremento de até 5°C.

A região Sudeste do Amazonas também apresentou uma vulnerabilidade alta com possíveis elevações de até 4,5°C. Já a região Central do Estado e do Alto Rio Negro foram as que apresentaram menores alterações, com aumento de até 3,5°C.

O regime de chuva na região também deve sofrer alterações. A região Sudeste do Estado poderá ser a mais prejudicada, com redução de até 25,3% na precipitação anual, representada pelo município de Parintins. A porção Sul também poderá apresentar reduções significativas na precipitação, em Apuí (redução de 15,1%) e Canutama (14,3%).

Já a região Norte é a única que poderá apresentar aumento da precipitação, como é o caso de Santa Isabel do Rio Negro (com aumento de 4,9% no volume de chuva).

Os dados foram divulgados em coletiva de imprensa, nesta sexta-feira, às 9h, no Hotel Quality, Zona Centro-Sul, durante o seminário “Indicadores de Vulnerabilidade à Mudança do Clima”. A coletiva contou com representantes de diversos órgãos públicos, entre os quais do Ministério do Meio Ambiente, Fiocruz, Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema) e Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM).

O evento faz parte do projeto Vulnerabilidade à Mudança do Clima, realizado pela Fundação Oswaldo Cruz em parceria com o Ministério do Meio Ambiente. A proposta da iniciativa é avaliar os riscos gerados pelo aquecimento global às populações nas cinco regiões do País e criar uma ferramenta, um software, para mensurar a vulnerabilidade humana às mudanças do clima, conforme cada município.

Publicidade
Publicidade