Quarta-feira, 27 de Maio de 2020
ELEIÇÕES MUNICIPAIS

Municípios do AM terão 100% de identificação biométrica nas Eleições de 2020

Nas eleições deste ano, nas quais estarão em jogo os cargos de prefeito, vice-prefeito e vereador, todos os 62 municípios do Estado contarão com urnas com biometria



biometria-1_88173E3C-C5FA-44A0-9E2A-A8C71B570259.jpg Foto: Elza Fiuza/Agência Brasil
11/03/2020 às 06:46

Nas eleições municipais de outubro todo o eleitorado do Amazonas votará utilizando o sistema de identificação por meio das digitais. Ontem (10), o Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) deu por encerrado o processo de recadastramento biométrico em solenidade realizada no município de Tefé (distante a 523 quilômetros da capital).

Segundo dados do TRE-AM, de um total de 2,4 milhões de eleitores do Estado, 97,3% já tiveram os dados biométricos coletados que corresponde a 2,3 milhões de pessoas aptas a votar.



A biometria já alcançou mais de 80% do eleitorado brasileiro, o que representa 118,6 milhões de pessoas, segundo estatísticas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A tecnologia permite identificar o cidadão, de modo seguro, por meio das impressões digitais, da fotografia e de sua assinatura.

O procedimento começou a ser implantado em 2008 e 15 unidades da federação já realizaram 100% da revisão biométrica. A previsão da Justiça Eleitoral é concluir o recadastramento em todo o país até 2022. 

Em texto divulgado à imprensa, o secretário de tecnologia da informação do TRE-AM, Rodrigo Camelo relatou que o processo de implantação do sistema biométrico foi um grande desafio logístico e tecnológico, com a abertura de vários postos de atendimento.

Ele citou as comunidades indígenas do Vale do Javari, em Atalaia do Norte, de São Gabriel da Cachoeira e de Lábrea como localidades de difícil acesso e frisou o apoio logístico das Forças Armadas e entidades federais, estaduais e municipais como prefeituras e câmaras municipais.

Segurança

O vice-presidente e corregedor do TRE-AM, desembargador Aristóteles Thury enfatizou a transparência e segurança do processo eleitoral com a revisão biométrica.

“Tenho a honra de ter participado ativamente desse processo no interior do estado, onde a nossa corregedoria acompanhou e supervisionou a revisão biométrica de praticamente todos os municípios envolvidos, deslocando-se para os mais distantes rincões do nosso estado, de forma a assegurar o acesso da população essa revolucionária ferramenta digital”, declarou o desembargador.

O juiz auxiliar da presidência do TSE, Leonardo Castanho, definiu a votação eletrônica como um processo complexo de coleta e totalização dos dados de votação, que garante que a vontade do eleitor seja demonstrada de forma fiel ao final do processo, que é confiável, seguro e rápido. 

“Agora se pode garantir que o eleitor que deposita o seu voto na urna corresponde ao titular do direito à escolha de seus representantes. Eu vim aqui aprender sobre biometria. Vocês ensinaram como construir uma democracia confiável usando recursos materiais escassos, mas compensando essa escassez com a união de esforços, sacrifícios, coragem e amor pelo bem público”, afirmou o magistrado.

Consequências

O cidadão que não comparecer à revisão, após encerrado o processo no município, poderá ter o título de eleitor cancelado e não irá conseguir votar nos pleitos. Sem o título de eleitor, não é possível emitir documentos como passaporte e carteira de identidade. Se tiver função ou emprego público, o cidadão fica sem receber o salário e impedido de realizar empréstimos em bancos públicos.

Blog: João Simões, desembargador e presidente do TRE-AM

"Muito feliz em poder concluir esse trabalho gigantesco que começou em 2012 na gestão do desembargador Pascarelli.Na campanha deste ano enfatizamos que o seu voto tem poder. E hoje muito mais que a biometria confere mais transparência ao processo eleitoral. A urna eletrônica vem sendo utilizada nas eleições desde 1996 sem qualquer mancha. Não há sequer uma prova de fraude. Pessoas propagam fake news por desinformação e outras por má intenção, mas não atacam o brilho e o trabalho da justiça eleitoral que prossegue fazendo o melhor para cidadania. Essa base de dados não servirá unicamente para os serviços eleitorais, será para toda a sociedade brasileira para o Documento Único de identificação. Serão acrescidos no cadastro novos eleitores até dia 6 de maio e a partir dessa data fecha-se o cadastro nacional para que a justiça eleitoral tenha o conhecimento de quantos eleitores estão aptos a votar na eleição municipal”.

Em números

118,6 milhões de eleitores brasileiros, de um total de 148,1 milhões, já realizaram a identificação biométrica, que corresponde a mais de 80% do eleitorado do País. A meta da Justiça Eleitoral é que a coleta das digitais em todo país seja concluída até 2022. 

Saiba mais: Regularização

Encerra no dia 6 de maio o prazo para regularização do título de eleitor. Aqueles que deixaram de votar e não justificaram a ausência às urnas por três eleições consecutivas devem procurar o cartório eleitoral para regularizar a situação e votar em outubro. Também é a data-limite para tirar a primeira via do título de eleitor.

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.