Publicidade
Cotidiano
Saúde da Pele

Mutirão dermatológico lota Fundação Alfredo da Matta na manhã deste sábado (2)

Pelos menos 100 funcionários voluntários se revezaram no atendimento que inclui consultas médicas, exames dermatológicos, micro-cirurgias e testagem rápida para HIV, Sífilis e alguns casos de Hepatite B e C 02/04/2016 às 15:26 - Atualizado em 02/04/2016 às 15:43
Show fgdfgdgdfgdfgdfgdfgdfgdfgdfg
Próximo mutirão está agendado para abril e deve ser realizado na Fundação Bradesco, no bairro Alvorada (Aguilar Abecassis)
Juliana Geraldo Manaus (AM)

Cerca de três mil pessoas lotaram as dependências da Fundação Alfredo da Matta (Fuam), no bairro da Cachoeirinha, zona Sul de Manaus, na manhã deste sábado, 02. Elas buscaram atendimento no segundo mutirão dermatológico deste ano organizado pela fundação, em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (Susam).

Pelos menos 100 funcionários voluntários se revezaram no atendimento que inclui consultas médicas, exames dermatológicos, micro-cirurgias e testagem rápida para HIV, Sífilis e alguns casos de Hepatite B e C.

O diretor-presidente da Fuam, Helder Cavalcante, explica que este mutirão é direcionado para a população das zonas sul e Centro-Sul de Manaus. “Essa é uma rotina que a Fundação está criando de modo a reduzir um pouco a fila de espera pra atendimento dermatológico. A cada dois meses estamos realizando um mutirão em uma zona diferente da cidade. Nosso objetivo, hoje, é disponibilizar pelo menos 1,5 mil atendimentos”, explica.

Segundo ele, a ação visa também fazer um diagnóstico das doenças dermatológicas que acometem a população manauara. “É uma maneira de saber o que está acontecendo na cidade no que diz respeito às doenças que acometem a pele e ao mesmo tempo atender essa população que ainda encontra dificuldade para receber atendimento dermatológico na rede pública de saúde”, ressaltou.

Outra preocupação da fundação, de acordo com Cavalcante, é a situação das doenças sexualmente transmissíveis, as DSTs. “O número de casos novos de HIV E Sífilis em Manaus assusta. O que nos parece é que as pessoas não estão tomando as medidas preventivas necessárias. Os pacientes diagnosticados com as doenças nos testes rápidos feitos hoje serão encaminhados para receber o devido acompanhamento médico e psicológico”, destacou.

Serviço

O primeiro mutirão realizado pela Fuam este ano aconteceu no bairro da Colônia Antonio Aleixo, Zona Leste, no dia 30 de janeiro, como parte das atividades do Dia Mundial de Luta contra a Hanseníase. A ação resultou em mais de 1,3 mil atendimentos.

As pessoas que não conseguirem atendimento neste sábado podem procurar a Fundação Alfredo da Mata de segunda a sexta-feira. O próximo mutirão está agendado para abril e deve ser realizado na Fundação Bradesco, no bairro Alvorada, com o objetivo principal de atender a população das zonas Oeste e Centro-Oeste da cidade.

Publicidade
Publicidade