Domingo, 19 de Maio de 2019
Notícias

'Na Amazônia, nada é impossível', diz executivo de grande empresa do ramo de petróleo e gás

Executivo da HRT Óleo & Gás  Milton Franke diz que a empresa constrói um patrimônio sólido no AM, hoje estimado em R$ 6,5 bi



1.gif
Milton Frankeo diz que o plano de investimento da empresa está em andamento
19/09/2012 às 18:11

Quase dois anos depois de virar uma empresa pública, o que lhe permitiu tomar dinheiro no mercado, as ações da HRT caíram ao preço de R$ 5. A empresa, que atua no Amazonas desde 2009, em busca de gás e óleo, admite que os acionistas estão um pouco nervosos, mas encara isso como um problema que atinge a todas as empresas desse setor. Nesta entrevista, o executivo da HRT O&G, Milton R. Franke, diz que o plano de investimento da empresa relativo ao período de 2011 a 2016 está em andamento e que a HRT vem construindo um patrimônio sólido no Amazonas.

Na semana passada, quando anunciou a descoberta de um novo poço na Bacia do Solimões, a HRT falou que sua meta é consolidar o Amazonas como um grande produtor de petróleo e gás. Quando isso efetivamente ocorrerá?

Estamos no Amazonas desde o final de 2009. Em outubro de 2010 nos transformamos numa empresa pública e tomamos dinheiro no mercado para um plano de investimento de  cinco anos, que começou em 2011 e vai até 2016. Já perfuramos nove poços, dos quais seis foram positivos para gás; dois, para óleo e apenas um mostrou-se “seco”. No nosso plano de negócio, em 2011 já teria produção.

Mas isso ainda não aconteceu...

Nosso plano continua. Já este ano vamos dar  um passo adiante no sentido de apresentar à Agência Nacional de Petróleo a primeira avaliação dos poços que perfuramos, de modo que tenhamos uma noção exata daquilo que descobrimos.

Nesse aspecto, como fica o projeto de consolidação da HRT no Amazonas?

Pretendemos continuar no Amazonas por dez, 20 ou 30 anos. Temos certeza de que não vai demorar para que o nosso investimento seja recompensado.

No Amazonas, a HRT tem encontrado sobretudo  gás. A empresa  se viabiliza no mercado só com  esse produto?

Sim. Queremos produzir óleo, vamos fazer isso, mas o gás natural pode ser tão valioso quanto o óleo. As últimas descobertas de poços mostraram-se  de elevada capacidade de produção, o que ajudará a reduzir custos com um número menor de poços dos quais retiraremos gás retirar.

(A Íntegra deste conteúdo está disponível para assinantes digitais ou na versão impressa).


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.