Publicidade
Cotidiano
Notícias

Na televisão, PT chamará população para evitar crise política e ironizará panelaço

No programa partidário, sigla admite crise econômica, afirma que o governo está trabalhando para contornar o problema e conclama os brasileiros a não deixar que ela se transforme em uma crise política 06/08/2015 às 16:31
Show 1
Programa do PT vaio ao ar na noite de hoje (6)
ACRITICA.COM ---

CONFIRA O VÍDEO

No programa partidário do Partido dos Trabalhadores (PT) que vai ao ar em rede aberta na televisão na noite desta quinta-feira (6), a sigla admite que o País vive uma crise econômica, afirma que o governo está trabalhando para contornar o problema e conclama os brasileiros a não deixar que ela se transforme em uma crise política, que "demora muito, e o sofrimento é imenso".

O vídeo já está disponível no site do partido e nas páginas oficiais do ex-presidente Lula e da presidente Dilma Rousseff.

Apresentado pelo ator José de Abreu e com a participação Lula, da presidente Dilma Rousseff e do presidente do PT, Rui Falcão, o programa termina com uma ironia aos panelaços, dizendo que o PT foi o partido "que mais encheu a panela dos brasileiros".

"Nos últimos tempos, começaram a dar um nova utilidade às panelas. A gente não tem nada contra isso. Só queremos lembrar que fomos o partido que mais encheu a panela dos brasileiros. Se tem gente que se encheu de nós, paciência", afirma.

"Estamos dispostos a ouvir, corrigir, melhorar. Mas, com as panelas, vamos continuar fazendo o que a gente mais sabe: enchê-las de comida e de esperança. Esse é o panelaço que gostamos de fazer pelo Brasil", conclui.

O partido defende que, no governo, evitou por seis anos que a crise internacional chegasse ao Brasil, que hoje o país vive "problemas passageiros na economia" e que há pessoas tentando se aproveitar disso para "criar uma crise política que poderia trazer efeitos bem piores do que uma crise econômica".

O programa faz um chamado ao cidadão para evitar que isso ocorra: "Hoje, há uma pessoa capaz de evitar uma grave crise política no país: você".

São mostradas imagens de políticos oposicionistas como os senadores Aécio Neves (PSDB-MG), Ronaldo Caiado (DEM-GO) e José Agripino (DEM-RN) e o deputado Paulo Pereira da Silva (SD-SP). Eles só pensam em si próprios, afirma o programa.

Rui Falcão afirma que a crise econômica está em toda parte, e que os que tentam restringir o problema ao Brasil querem "enfraquecer o governo e tumultuar a política".

"Aos que não concordam com derrota nas urnas, só pedimos uma coisa: juízo, pois o povo saberá defender a grande conquista de todos os brasileiros: a nova nova e vibrante democracia", diz.

O programa cita ainda medidas tomadas nos últimos anos pelo governo (como redução de tributos incidentes sobre folha de pagamento, cesta básica, veículos e eletrodomésticos" e afirma que o Brasil venceu crises mais graves "porque não deixamos que se transformassem em crises políticas".

O partido diz que programas como Bolsa Família, Mais Médicos, Minha Casa Minha Vida, Fies e Prouni fazem pressão nas contas públicas, e questiona: "Mas será que o governo errou ao tentar de todas as maneiras evitar que a crise arrombasse a porta dos brasileiros? Aqui para nós, não é melhor a gente não acertar em cheio, tentando fazer o bem, do que errar feio, fazendo o mal?".

O admite também que alguns números do Brasil atualmente "não são os melhores", mas diz que, antes, o mesmo governo produzia bons números, e os recorda, não como "saudosismo, mas como prova de que podemos fazer igual, ou melhor", enumerando recordes de exportação, financiamento imobiliário e crescimento do emprego formal, dos salários e da produção no campo e a redução da pobreza e do desmatamento.

Para combater os números ruins da economia, o PT diz que o governo reparte esforços, corta despesas e amplia investimentos em logística, agricultura familiar e proteção ao emprego.

Publicidade
Publicidade