Publicidade
Cotidiano
SAÚDE MENTAL

Depressão é determinada por ambiente de trabalho e como a pessoa lida com desafios

A psicóloga Miriam Farias explica que não é a carreira que vai determinar que a pessoa sofra do mal, e sim o ambiente profissional 05/03/2018 às 07:17
Show depress o
A depressão é considerada o 'mal do século pela Organização Mundial da Saúde (Foto: Reprodução Internet)
Tiago Melo Manaus (AM)

“A vida é repleta de tristezas. Pouco importa o que fazemos, no final todos vamos morrer”. Quem diz isso é o jornalista nova-iorquino Andrew Solomon, autor de ‘O Demônio do Meio-dia: Uma Anatomia da Depressão”. Seguindo o pensamento dele, que lutou durante anos contra a depressão, não é dinheiro, poder, profissão, ou qualquer coisa do tipo, que vai livrar a pessoa deste distúrbio mental.

Não à toa, tantos famosos tem vindo a público revelar sofrer deste que já é considerado o ‘mal do século’ pela Organização Mundial da Saúde. Somente no Brasil, Lucas Lucco, Paula Fernandes, Selton Mello, Fernanda Lima e, mais recentemente, a atriz Priscila Fantin, admitiram que tem ou já tiveram depressão. Mas será que as profissões destas celebridades acabam tornando-as mais vulneráveis a desenvolver a depressão?

A psicóloga Miriam Farias explica que, contudo, não é a carreira do profissional que vai determinar que ele possa sofrer do mal, e sim o ambiente do trabalho e como ele lida com os desafios.

“Não é a profissão que vai desencadear a depressão. É a insatisfação que a pessoa está com o trabalho. Por exemplo: quem sofre muita pressão, no caso dos jornalistas, atores, cantores, por exemplo. A ocupação, muitas vezes, não é prazerosa, causa sofrimento. Então se isto perdurar por muito tempo, for intenso e o trabalhador perder o ânimo podem desencadear o transtorno”, disse a profissional.

De acordo com ela, é importante saber diferenciar uma tristeza comum de um quadro depressivo, visto que a tristeza, assim como as demais emoções – medo, ansiedade, raiva, entre outras – fazem parte da vida; enquanto a depressão é a alta intensidade por tempo prolongado desses sentimentos ruins, sendo necessária, portanto, a ajuda profissional de um psicólogo.

“A depressão é um transtorno que causa sofrimento tanto físico, quanto mental e emocional, gerando também um afastamento ou isolamento social. Na depressão, a pessoa perde a capacidade de experimentar o prazer, há um desânimo constante que compromete as atividades e tarefas diárias. O indivíduo não tem vontade de fazer nada, acorda sempre cansado, o sono fica ruim e não é recuperador”, ressalta a especialista.

Mal do século

Ainda que os exemplos acima tenham sido todos de artistas famosos, a depressão é um transtorno de humor inerente a todos os seres humanos, que se manifesta, principalmente, depois de uma perda de um ente querido, emprego, posição social ou até mesmo um bicho de estimação.

Segundo Miriam, o transtorno geralmente é diagnosticado por um psiquiatra, mas o psicólogo, quando faz os atendimentos, pode identificar que o paciente está com depressão e em casos mais graves encaminhar para o médico.

Amor x depressão

Para Solomon, a depressão é a imperfeição no amor, destruindo o indivíduo e sua capacidade de dar ou receber afeição. Ela é a solidão interna que compromete não apenas a conexão com outros, mas também a capacidade de estar em paz consigo, afirma ele.

“Embora não previna contra a depressão, o amor é o que tranquiliza a mente. Quando estão bem, qualquer paixão pode oferecer um sentido vital de propósito, que é o oposto da depressão. Na depressão, a falta de significado de cada empreendimento e de cada emoção, a falta de significado da própria vida se tornam evidentes. O único sentimento que resta nesse estado despido de amor é a insignificância”, conclui ele.

Conheça os sintomas

Tristeza, ansiedade, vazio persistente; Desesperança, pessimismo; Irritabilidade; Culpa, inutilidade, desamparo; Perda de interesse ou prazer pela vida; Fadiga; Dificuldade para dormir; Pensamentos de morte ou suicídio.

Publicidade
Publicidade